Alunos de Educação Física do IUE recebem formação sobre antidopagem em S. Vicente

70

Os alunos do curso de Educação Física do Instituto Universitário da Educação em Mindelo receberam esta quarta-feira, 22, uma formação sobre “Educação e Sensibilização contra a dopagem no Desporto”, organizada pela Organização Nacional Antidopagem. Esta iniciativa visa capacitar os estudantes para que sirvam de veículos de transmissão junto dos atletas das informações sobre as desvantagens e penalizações do uso de substâncias psico-activas no desporto.

Este curso está enquadrado no programa “Jogo Limpo e Protecção do Atleta Limpo” da ONAD, uma entidade criada há quase um ano e que se responsabiliza pela luta atidopagem no desporto em Cabo Verde. O que se quer é fornecer aos jovens, principalmente aos estudantes de educação física, atletas e praticantes do desporto, informações sobre as substâncias proibidas para que não violem as normas.

Antes de reprimir e castigar queremos dar a conhecer, fornecer as informações para que os atletas possam não violar as normas antidopagem. Muitas vezes encontramos um resultado analítico positivo não porque o atleta tem a intenção de ganhar vantagens de forma ilícita, mas por puro desconhecimento. Existem muitas substâncias que fazem parte dos medicamentos normais e que são proibidos aos atletas, porque lhes dão vantagens desleais”, considera Emanuel Passos, presidente da ONAD.

Com o curso pretende-se também passar aos alunos informações sobre a ONAD, desvendar os deveres dos atletas e treinadores e informá-los também que já existe em Cabo Verde um regime sancionatório para quem for apanhado no controlo analítico positivo. Tudo isso para atingir o objectivo final preconizado pela ONAD que é criar sinergia com os praticantes do desporto no sentido de promover investigação científica neste ramo. É que, segundo Passos, em Cabo Verde ainda não há estudos científicos sobre a matéria, mas há informações não oficiais de que alguns atletas usam substâncias proibidas. Por isso o melhor, acrescenta, é agir na prevenção e sensibilização.

Apesar da inexistência de um laboratório no país, a ONAD vai basear-se na experiência dos outros países para iniciar o controlo de atletas dentro em breve. No futuro próximo, no entanto, a meta é criar um laboratório próprio que sirva de referência na nossa região e que presta serviço a outros países e assim garantir o auto-financiamento. Trata-se de um processo que está a ser desenvolvido em parceria com a Agência Portuguesa Antidopagem com a organização regional das Zonas II e III, da qual Cabo Verde faz parte, e com a UNESCO.

Para Albertino Martins, director do IUE em Mindelo, a formação proposta pela ONAD foi aceite com agrado pela instituição de ensino, tendo em conta que se trata de uma abordagem que está muito em voga nos dias de hoje no desporto. “Os nossos formandos serão futuros agentes desportivos, eventualmente com responsabilidades, mais particularmente na formação de jovens, e por isso acolhemos esta proposta da ONAD de vir dar esta formação aos nossos futuros professores licenciados em Educação Física. É importante para que possam conhecer de perto o assunto e se preparar para lidar com eventuais situações que poderão ocorrer”, advoga Martins, para quem o importante é que se crie nesses jovens uma mentalidade diferente e capacitá-los, não apenas do ponto de vista técnico, mas também do saber estar, respeitando a ética, os princípios e os valores na prática desportiva.

Carina David

(Visited 75 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here