25 anos da Rádio Nova: Anabela Ramalho aborda os contributos do jornalismo para a paz – o caso da Guiné Bissau

48

Anabela Bull Ramalho, jornalista da rádio Católica Sol Mansi, vai discorrer esta sexta-feira na Universidade do Mindelo sobre “Os contributos do Jornalismo para uma Cultura de Paz: O caso da Guiné Bissau”. Trata-se de uma actividade que se enquadra nas programações dos 25º aniversário da Rádio Nova, a primeira rádio privada a surgir em Cabo Verde.

Esta será a segunda conferência alusiva às celebrações dos 25 anos da emissora cristã de Cabo Verde. A primeira aconteceu em Janeiro último, proferida pela jornalista cabo-verdiana Dulce Araújo, que trabalha na secção de Língua Portuguesa da Rádio Vaticano. A vinda desses profissionais tem o objectivo de estreitar os laços e encetar uma nova dinâmica com as emissoras estrangeiras que ao longo dos anos fizeram parte da mesma rede e foram parceiras da Rádio Nova.

Fizemos uma primeira com Dulce Araújo da Rádio Vaticano, que veio apresentar um tema relacionado que a Paz e a Justiça. Ela é uma jornalista cabo-verdiana que emigrou para trabalhar como empregada doméstica, mas conseguiu estudar e hoje ela é muito respeitada em Roma. E esta nova actividade vai acontecer através da Rádio Sol Mansi da Guiné“, explica Francisco Duarte, jornalista da Rádio Nova, que destaca o papel dessa emissora nesses 25 anos.

Temos feito muita coisa ao longo desse tempo. Jornalismo de intervenção, notícias que tiveram efeitos práticos e que contribuíram para a melhoria da condição de vida da população, levamos informação a locais mais recônditos. Conseguimos chegar onde muitos que têm mais capacidades técnicas do que nós não conseguem chegar. Com poucos recursos somos capazes de chegar ao nível de pessoas que tem de longe muito mais recursos do que nós. É só uma questão de ter ideias, criatividade e um pouco de esforço“, acrescenta.

Para além da jornalista Bissau-guineense, acontece no mesmo dia o painel conferência “A paz em África: Uma utopia”, liderada pelo professor de Jornalismo Carlos Alves. Estes são, aliás, partes de um leque de actividades que a emissora cristã de Cabo Verde tem realizado ao sonho deste ano que vai culminar com uma gala musical com artistas cabo-verdianos a 17 de Dezembro, dia em que celebra os 25 anos da sua primeira emissão.

Havia muitas outras actividades, mas por falta de patrocínios não pudemos realizá-las. Entretanto teremos uma gala. A ideia é trazer algumas artistas que vão cantar sem cachê demonstrando a amizade que têm por essa rádio que lhes projectou no início das suas carreiras,” informa a directora da RN, Nita Santos. Segundo esta jornalista, a Rádio Nova teve que muitas lutas nestes 25 anos, já que começou a emissão em 1992, uma época em que os meios de comunicação social privados começavam a abrir caminhos para a sua afirmação.

Carina David

(Visited 48 times, 1 visits today)