Andebol em S. Vicente: Inscrições de atletas e assembleia da FCA na ordem do dia

226

As equipas oficiais de andebol de S. Vicente começam a disputar na próxima Sexta-feira a Taça de S. Vicente, um torneio programado para terminar no dia do Município da chamada ilha do Porto Grande, celebrado a 22 de Janeiro. Embora o processo de inscrição dos atletas esteja ainda a decorrer, Luís Fortes, presidente da AASV, acredita que tudo estará operacional antes do arranque desta competição. “Por causa da nossa recente eleição, houve um desfasamento na inscrição dos clubes e jogadores. Falta fechar um ou outro ponto, mas acho que podemos arrancar com a nossa temporada desportiva tranquilamente”, diz Fortes, que se reuniu anteontem com os clubes para fazer o ponto da situação das inscrições e receber subsídios para a assembleia-geral da Federação Cabo-verdiana de Andebol, que acontece hoje, na cidade da Praia.

Vários pontos foram salientados na reunião pelos dirigentes e treinadores, com destaque para a limitação do número de jogadores que cada clube pode inscrever, o problema dos escalões de formação, o financiamento das associações, a ausência de apoios concretos da FCA aos clubes em materiais, o destino dado aos montantes referentes às transferências de jogadores, as dificuldades dos clubes em assumir determinados encargos financeiros… “Levo, portanto, uma mão cheia de preocupações, que estão relacionadas fundamentalmente com a organização do andebol. Devemos ter em mente que a modalidade é praticada por amadores, logo deve haver alguma margem de facilidade no tocante ao número limite de inscrições, os prazos e até nos pagamentos exigidos aos clubes, que enfrentam muitas dificuldades”, reforça Luís Fortes.

A nível competitivo, a Associação de Andebol de S. Vicente tem programado a disputa da Taça de S. Vicente (12 a 22 de Janeiro), o Torneio de Abertura – que começa no dia 27 de Janeiro -, uma prova patrocinada pela Direcção-Geral dos Desportos e o campeonato regional, que deverá arrancar em Fevereiro. Conforme Fortes, as equipas campeãs deverão ficar apuradas até Abril, conforme exigência da FCA, pelo que restará apenas dois meses para a realização da prova principal.

No entanto, um dos principais desafios da região de S. Vicente, sem cintar com o crónico problema da arbitragem, situa-se ao nível dos escalões de formação. Durante algum tempo foi organizado o campeonato sub-20 entre as escolas secundárias, mas agora a aposta terá de ser feita nas categorias sub-16, sub-18 e sub-19, o que vai exigir uma adaptação das estruturas das equipas. A ideia, segundo Luís Fortes, é elevar os atletas sub-20 para o escalão sénior, manter aqueles com idades no nível sub-18 e recrutar jogadores com menos idade. Essas exigências têm por base indicações emanadas da FCA, que planeia inscrever Cabo Verde nalgumas provas internacionais, mas a grande questão é saber se as equipas técnicas estarão motivadas a colocar a mão na massa ainda esta época.

(Visited 232 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here