Buraco gigante na Antártica preocupa investigadores

104

Um buraco gigante, do tamanho da Holanda, foi descoberto na Antártica por investigadores da Universidade de Toronto e do Observatório para o Clima nos Oceanos do Sul. É a primeira vez que os cientistas observam um buraco desta dimensão desde a década de 1970. Designado por “Polynya”, o buraco tem cerca de 60 mil quilómetros quadrados e é a maior área livre de gelo – uma espécie de lago – descoberta naquela zona.

De acordo com o físico atmosférico Kent Moore, o buraco gigantesco e misterioso “é bastante notável”, mas as condições em que se formou são muito estranhas e ainda não são entendidas. “Nas profundezas do inverno, há mais de um mês, tivemos essa área de águas abertas”, disse Kent Moore à National Geographic.

“É simplesmente extraordinária que este ‘polynya’ tenha ido embora há 40 anos e depois voltado”, afirmou. As águas profundas são mais quentes e salgadas e quando atingem a superfície derretem o gelo e formam as “polynyas”, uma vez que existe um “enorme contraste de temperatura entre o oceano e a atmosfera”, explicou Moore.

Os investigadores estão a trabalhar para entender com que frequência o buraco aparece e a relação destes acontecimentos com o aquecimento global. O intenso inverno na região torna difícil encontrar outros buracos similares. É o segundo ano consecutivo em que uma “polynya” se forma, mas a de 2016 não ter alcançou estas dimensões.

C/Agências Internacionais

(Visited 109 times, 2 visits today)