Emoção no encerramento dos workshops “Carnaval de Verão” no Mindelo

505

O encerramento dos workshops sobre o Carnaval de Verão, que decorreram durante a última semana em S.Vicente, foi marcado por fortes emoções. Os participantes lotaram a Academia Jotamont para ouvir os formadores, especialmente o Mestre Casagrande, a porta-bandeira Lucinha Nobre e o coreógrafo Patrick Carvalho, dois dos carnavalescos mais premiados do Carnaval carioca.

Fatinha do Rosário, que falou em representação dos grupos alegóricos de São Vicente, mostrou-se satisfeita com as formações ministradas e classificou-as como uma “experiência inédita”. “Agradecemos pela oportunidade, pelo vosso tempo para nos ensinar tantas coisas boas, numa altura em que os grupos estão a passar por uma transformação, com a criação da nossa Liga. Esta semana resume-se em uma palavra: união”, disse Fatinha, que pediu a todos para acreditarem na Liga dos Grupos Carnavalescos de São Vicente, que está a beber dos fundamentos da sua congénere brasileira – a Liesa: Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

Mentor do projecto, Dudu Nobre disse estar sem palavras perante tudo aquilo que a caravana brasileira tem vivido por estes dias em São Vicente. “Quando estive aqui em Fevereiro para actuar na Rua de Lisboa, vi a essência do vosso Carnaval. Vi os Mandingas e, entusiasmado, enviei milhares de vídeos para o Brasil, maravilhado com tudo o que via. Depois, num encontro com o presidente, surgiu a ideia de vir ajudar os grupos a preparar o Carnaval de verão. Esta experiência tem sido maravilhosa. Penso que vamos ter um momento alto com o desfile de terça-feira. A vida nos têm proporcionado bons momentos, mas poucas vezes me emocionei como agora. Muito obrigado pelo tratamento e pelo carinho”, disse esse artista descendente de cabo-verdianos.

Já o autarca Augusto Neves, que deveria encerrar as formações, garantiu que estava na verdade a fazer a abertura de uma grande jornada. “Acredito que vamos ter muitos mais workshops nos próximos tempos. Vamos estreitar ainda mais esta relação e aprender com pessoas que sabem tudo do Carnaval. Isto é um sonho. Estamos a fortalecer o nosso Carnaval e a enriquecer este grande projecto”, declarou o edil, realçando que durante os dias que as pessoas estavam em formação, a Câmara esteve a correr atrás de patrocínios.

“A nossa missão é melhorar a qualidade de vida das pessoas e o Carnaval de São Vicente é um grande produto, que ainda precisa ser potenciado e enriquecido para podermos trazer mais visitantes, mais turistas. Com isso, estaremos a gerar mais empregos, mais riquezas e a combater a pobreza”, acrescentou o presidente da CMSV, que está já a projectar o Carnaval 2018.

Vários episódios marcaram a cerimónia de encerramento, que levou várias pessoas ao auditório da Academia Jotamont. Destaca-se o momento em que Milton Cunha leu a tradução em português da letra da música “São Vicente ê um brasilim” e levou a plateia a entoar essa composição eternizada pela diva Cesária Évora. Outro momento alto foi a ovação feita ao mestre Casa Grande pelos músicos. Ele que ficou emocionado e elogiou o nível da batucada de São Vicente, que, para ele, tem características dignas de realce, como a “extraordinária” capacidade dos tocadores de passar de um ritmo para outro diferente num ápice. Algo que ele considera difícil, até mesmo no Brasil, terra do samba.

A raínha da bateria Raíssa Olveira também deixou a plateia eufórica ao revelar que foi abordada por um gay que lhe perguntou se pode ser rainha da bateria. “Respondi que é lógico que pode ser, que pode ser destaque, aquilo que quiser no Carnaval. Acho que temos de quebrar esse preconceito de que os gays não podem ser nada na escola de samba. O Carnaval é alegria e isso eles têm de montão”, realçou a sambista, que foi apoiada por uma estrondosa salva de palmas.

Constânça de Pina

Soncente ê um Brasilim

O workshop "carnaval de verão" tem "produzido" momentos inesquevíceis e alguns até hilariantes, sempre com Milton Cunha no centro da acção. Como este, em que ele "provoca" um momento simples mas simbólico de homenagem à Diva Cesária Évora e aos laços culturais que unem Soncente ao Brasil, por causa do Carnaval.

Publicado por Mindel Insite em Segunda-feira, 7 de Agosto de 2017

(Visited 533 times, 1 visits today)