Está tudo a postos para os 100 anos do liceu de São Vicente

411

Está tudo pronto para as celebrações dos 100 anos do Liceu de São Vicente. O Presidente da República Jorge Carlos Fonseca vai proferir uma conferência magistral no colóquio “O Liceu de São Vicente, Farol do Futuro (1917-2017)”, cuja abertura solene acontece na próxima sexta-feira, 17 de Novembro. Com duração de dois dias, o colóquio é o ponto alto das celebrações do centenário do liceu, que arrancou com actividades desportivas nas escolas secundárias da ilha. Vai reunir especialistas, convidados e vários ex-alunos vindos do exterior. O colóquio vai acontecer no Centro Cultural do Mindelo.

Este colóquio, diz o porta-voz do grupo de antigos alunos que decidiu organizar estas celebrações para que a data não passasse em branco, Amiro Faria, vai evocar a trajectória do Liceu do Mindelo, centro de educação e de civilidade, que modelou a consciencialização identitária da sociedade cabo-verdiana. Um liceu que, conforme palavras do escritor Teixeira de Sousa, deu “o tom civilizado da saída de Cabo Verde da situação colonial e para o bom nome que hoje usufrui no areópago internacional da ONU.”

Cabe ao embaixador Luís Silva fazer o enquadramento do Colóquio. Seguem-se as saudações do presidente da Câmara de São Vicente e a conferência magistral proferida pelo Presidente da República. Estão previsto no primeiro painel os temas “Contribuição do liceu mindelense para a ascensão dos Sokols (Falcões) e para a formação da geração da independência” por Ian Klima; “O Liceu de São Vicente: quatro identidades, a vontade da cidadania, uma conquista persistente e perdurável“, por Maria Adriana Sousa Carvalho e “Liceu Gil Eanes – Consciencialização política e resistência colonial: o caso ´semente de manga`, por Leão Lopes. Á noite haverá um sarau cultural na Pracinha do Liceu Velho.

O colóquio prossegue no dia 18 com o segundo painel, que vai ser moderado pelo jornalista José Vicente Lopes, vão ser apresentados “O Boletim dos Alunos do Liceu Gil Eanes e a afirmação da cabo-verdianidade” por Manuel Brito-Semedo; “A Representação do liceu em “Chiquinho” e em “Capitão de mar e terra” por Ana Cordeiro. Ainda “Mulheres no XX” por Germano Almeida e “As luzes do Mindelo” por Aristides Lima. Margarida Santos, da Comissão Organizadora, apresentará no sábado, 18, as conclusões do Colóquio.

O programa destaca ainda a projecção do filme “Recortes de memórias do Liceu de São Vicente”, de Ana Cristina Ferreira. O encerramento do colóquio vai estar a cargo da Ministra da Educação, seguido de um cocktail oferecido pela Comissão Organizadora e um Baile de Gala no Pont d´Agua. Antes, mais precisamente nos dias 14 e 15 estão programados lançamento dos livros “Emoções Lusófonas” de Maria Faria de Brito e Joaquim Pinto Serra e “Na Pedra d o Tempo” de Carlota de Barros, seguido de uma serenata de saudade na Pracinha do Liceu Velho.

No dia 16, serão oficialmente abertas as comemorações do Centenário do Liceu no Centro Nacional de Artesanato e Design, com uma exposição intitulada “Trapos do Quotidiano de um Liceu Histórico. E ainda o lançamento da segunda edição edição do livro de Arnaldo França. Para Domingo haverá um festival gimno-desportivo no Adérito Sena.

Constânça de Pina

(Visited 429 times, 5 visits today)