FIC 2017 lança Cabo Verde como um hub para a África Ocidental

258

A XXIª edição da Feira Internacional de Cabo Verde vai acontecer em S. Vicente de 15 a 19 deste mês, sob o lema “Cabo Verde, um Hub para a África Ocidental”. Este ano, este que é o principal certame empresarial do país, conta com quase 100 expositores, na maioria empresas de direito cabo-verdiano, organizados em 200 stands. A abertura da FIC será presidida pelo ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves.

Esta manhã, na apresentação desta exposição à imprensa, o presidente do Conselho de Administração da FIC, Gil Costa, explicou que ela está estruturada em três pilares. A primeira contempla a mostra de produtos e serviços, protagonizada por cerca de 100 expositores em 200 stands. “Tivemos um crescimento tanto em termos de números de stands e de expositores, como da área feiral, que ronda os três mil metros quadrados”, explica Gil Costa, realçando que a maior parte dos expositores – 53 % -, é de Cabo Verde, seguida por Portugal com 41%, Brasil (4%) e da China com 1 por cento. Sobre os participantes do país, esse gestor explica que as empresas são de direito cabo-verdiano, mas a maioria é de investimento estrangeiro.

O segundo pilar desta feira são os encontros de negócio “Business to Business” e, o terceiro é composto pelas jornadas técnicas, que são também alusivas ao lema da FIC. Quando ao orçamento, o PCA revela que esta feira teve um acréscimo de 37 por cento. “Temos um orçamento directo, ou seja da organização, de 10 mil contos. Mas a feira que iremos apresentar, com a qualidade e o glamour, cifra-se nos 17 mil contos, muito por conta do investimento feito pelos expositores. Em termos de visitas, esperamos uma média de duas mil pessoas por dia, totalizando 10 mil visitantes nos cinco dias da feira. Este número representa um acréscimo de 19% relativo a 2016”, indica.

Tudo isso é possível porque, de acordo com Gil Costa, houve um aumento exponencial das parceiras institucionais e comerciais. Trata-se, afirma, de uma aposta que a FIC tem estado a fazer, destacando os parceiros sectoriais e os patrocinadores gold, no caso em concreto a Unitel Tmais, a CV Móvel e o Grupo Impar, com o qual acaba de assinar um protocolo para o efeito.

Jornadas técnicas

Suporte da FIC no tocante à organização das actividades paralelas, coube à Câmara do Comércio de Barlavento apresentar as jornadas técnicas, que vão acontecer de 15 a 17 deste mês. Segundo Adriano Cruz, Secretário-geral da CCB, estas vão ser alusivas ao tema escolhido para esta edição da FIC neste novo ciclo económico do país. “Vamos ter temas relacionados sobretudo com a internacionalização. Nesta matéria, teremos intervenção de personalidades com muita responsabilidade neste sector, nomeadamente o Instituto de Qualidade, a Câmara do Turismo e entidades que actuam no mercado enquanto empresas ou agências de certificação, caso por exemplo da APCER”.

Para o dia 16, a sessão técnica dedica-se à questão do financiamento à actividade económica e às empresas. O Ministro das Finanças, Olavo Correia, será um dos oradores, cabendo-lhe a responsabilidade de discorrer sobre políticas e estratégias de financiamento. “Por sua vez, a Pro-Empresa vai apresentar aos participantes as técnicas de financiamento. As Câmaras do Comércio vão trazer ao público os resultados do estudo recente ´Reposicionamento do sector privado em Cabo Verde`, um plano de acção para os próximos anos, em paralelo com o Plano de Acção do sector público, que foi financiado pela Cooperação Luxemburguesa”, pontua Cruz.

O último dia das jornadas vai abordar a logística e competitividade do sector privado nacional. Por exemplo, será apresentado o projecto em desenho do Hub áereo de Cabo Verde e a Política Industrial Nacional. Vai ser tornado público um estudo que contou com a participação das câmaras de comércio e o envolvimento do ministério da Economia relativo ao Transporte de Cabotagem, e ainda um estudo sobre o Centro de Logística Marítima, este último um projecto novo que a Enapor está a desenvolver.

Por tudo isso, Adriano Cruz não tem dúvida de que estas jornadas vão ser importantes para os expositores, mas também para as empresas nacionais. Neste sentido, para além de todo o trabalho de promoção que tem sido feito em torno da FIC, este espera poder contar com salas cheias de especialistas, empresários, consultores, quadros técnicos e expositores.
Outra novidade é a realização este sábado, 18, de uma visita guiada à ilha de Santo Antão, destinada sobretudo aos expositores estrangeiros, mas também para os cabo-verdianos que queiram aproveitar esta oportunidade para visitar os três concelhos e conhecer o turismo de montanha. “O diálogo vai ser curto, mas importante. Os expositores vão encontrar-se com os representantes das Câmaras Municipais e podem vislumbrar oportunidades de investimentos nestes três municípios da ilha”.

Antes, mais precisamente na sexta-feira, realiza-se a Gala “Cooperação para Competitividade”, durante a qual será feita a entrega de certificados às empresas pela APCER. Haverá ainda um segundo momento em que o Instituto de Qualidade e o Programa Qualidade para África Ocidental vão distinguir as primeiras empresas com o Prémio Nacional de Qualidade.

Constança de Pina

(Visited 262 times, 2 visits today)