“Katumba d’fog” prepara clipe – música de MC Seiva será um dos hinos da manifestação de 13 de Janeiro

380

Pelo menos duzentos fãs já garantiram ao rapper MC Seiva a sua presença numa concentração este Domingo para a captura de imagens a serem usadas no videoclipe de “Katumba d’fog”, música eleita pelo “Sokols 2017” como um dos hinos da manifestação popular programada para 13 de Janeiro. Segundo o cantor mindelense, a mobilização decorre sobre rodas com a ajuda de elementos do movimento cívico, pelo que está confiante na participação dos seus muitos seguidores nesse projecto. A ideia é simular uma concentração popular pacífica na Praça Estrela e usar essas imagens no clipe dessa faixa, que é descrita pelo próprio artista como uma “manifestação na música”.

“Vejo a postura do Sokols como um reconhecimento pelo meu trabalho. Na verdade, a mensagem da música acaba por coincidir com o propósito da manifestação de 13 de Janeiro porque ‘katumba d’fog’ fala da necessidade de uma revolução, neste caso contra o sistema de governação adoptado em Cabo Verde”, explica o artista, que se aliou ao “Sokols 2017” nos preparativos para essa cena, que acaba por publicitar a caminhada sociopolítica de 13 de Janeiro, a segunda organizada por esse movimento nascido este ano na cidade do Mindelo.

Aliás, o vídeo deve ficar pronto em Dezembro e começar a circular nas redes sociais, servindo tanto para divulgar o trabalho de MC Seiva como para mobilizar “soldados” para essa luta popular. Segundo Salvador Mascarenhas, um dos rostos do grupo cívico, o Sokols já começou a trabalhar nos bastidores para colocar na rua no mínimo o mesmo número de pessoas da manifestação de 5 de Julho deste ano, estimada entre 12 a 15 mil participantes. Porém, a campanha propriamente dita terá início no terreno no mês de Dezembro.

“Desta vez temos mais tempo, mas também estamos cientes de que as pessoas do contra também têm mais tempo para tentar desmobilizar os potenciais manifestantes. E já começamos a perceber essa intervenção”, comenta Mascarenhas. Conforme esta fonte, os membros do movimento estão a agendar as acções e a elaborar um caderno reivindicativo das medidas que consideram imprescindíveis para a divisão do poder em Cabo Verde. Até porque, na perspectiva do grupo, os sinais vindos da Capital continuam a ser preocupantes. Um deles, frisa Mascarenhas, é o Orçamento 2018, que canaliza 70 por cento do investimento público e 85% das despesas de funcionamento do aparelho do Estado para a ilha de Santiago.

A música “Katumba d’fog” deve ser usada como bandeira da manifestação juntamente com outra composição da autoria de Politcha. Tudo indica que será um hip hop, género musical de intervenção social mais apreciado pelos jovens, o que poderá ser indício da faixa social que os organizadores da manifestação pretendem mobilizar com mais força. E, segundo Mascarenhas, o evento deverá culminar com um espectáculo na Praça Dom Luís, com actuação de rappers, mas também de outros tipos de artistas.

“Katumba d’fog” é o quinto álbum da autoria de Danilo Estrela, artisticamente conhecido por MC Seiva. O primeiro trabalho, intitulado “Tram esse parede d’frente” foi lançado em 2009, seguindo-lhe dois anos depois a compilação “Nha flow”. Em 2011 coloca um terceiro trabalho à disposição dos fãs com “Produto bruto”, para depois apostar as suas fichas em “Veneno”, em 2015. Agora em 2017 coloca nas mãos dos apreciadores do seu estilo o álbum  “Katumba d’fog”, que já está a rodar na net. Porém, a apresentação oficial do álbum será em Março, na ilha de S. Vicente. Da terra do Monte Cara, MC Seiva pretende espalhar a sua mensagem para o resto de Cabo Verde e o mundo. A ideia é colocar o poder numa “katumba d’fogo”, ou quem diz, afrontar o Governo a ponto de coloca-lo entre a espada e a parede.

Kim-Zé Brito

(Visited 395 times, 6 visits today)