PAICV diz que TACV é um “dossiê de improviso”

188

O dossiê TACV, mais precisamente a forma como as autoridades estão a conduzir este processo de reestruturação, é um dos assuntos na agenda dos deputados eleitos por São Vicente na visita de círculo realizada esta semana. Entre as várias questões laborais levantadas, Manuel Inocêncio de Sousa não tem dúvidas que a situação dos trabalhadores da companhia de bandeira é mais complexa, porque continua sendo ainda muito pouco clara e transparente.

“Há uma angústia constatada pelos sindicatos porque o processo continua sendo muito pouco claro. Há gente que vai ser despedido, mas ninguém sabe ainda quem vai ser abrangido. Não há da parte da administração a apresentação das condições em que os despedimentos vão ser feitos. Há pessoas que vão ser obrigadas a transferir-se para a ilha do Sal, mas não está claro. Portanto, é um processo que nos confirma que o TACV é um dossiê de improviso”, afirma este eleito nacional, para quem o Governo está improvisando relativamente a questão da reestruturação da TACV.

Esta é uma situação que preocupa em particular o PAICV, que diz existir uma percepção de contínuo agravamento do desemprego em São Vicente. Isso porque não existe nenhuma perspectiva concreta de novas iniciativas de emprego e continua a haver redução de pessoal com extinção de algumas firmas comerciais. A par disso, segundo o deputado, há um sentimento de desencanto por causa do não aumento salarial no OE de 2018.

“Os sindicatos falam até em reivindicar um orçamento rectificativo para que esta questão seja resolvida ao longo do ano”, refere, ao mesmo tempo que cita a necessidade de uma urgente revisão da Lei sobre Acidentes de Trabalho porque, realça, as pessoas continuam a ser penalizadas por causa do plafond de nove mil escudos de subsídio de remuneração. É que, por se tratar de um valor baixo, afirma, tem-se verificado uma transferência de responsabilidades das seguradoras para o INPS. “Os trabalhadores preferem apresentar-se aos médicos em situação de doença e não de acidente para poderem beneficiar da cobertura da Previdência Social. Isso porque a cobertura que têm dos acidentes de trabalho é muito reduzida”.

Tribunal de Trabalho

Para este ex-governante, todas estas questões mostram que o ambiente laboral precisa de mais atenção. Por agora, avança com uma proposta dos sindicatos de criação de um Tribunal do Trabalho em São Vicente, para cobrir toda esta região de Barlavento. Este tribunal viria atender as queixas de enormes atrasos na resolução dos processos laborais pendentes e nos já julgados, mas que nunca foram produzidos sentenças.

O desporto constou também da agenda dos eleitos do PAICV nesta visita, sendo que, neste sector, Manuel Inocêncio garante que encontraram organização e motivação. Mas constataram uma grande limitação de recursos, por um lado, devido a uma ausência completa da Câmara Municipal de São Vicente relativamente ao financiamento das actividades desportivas, ao contrário daquilo que acontece em outros municípios.

Constânça de Pina

(Visited 190 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here