Suspeitos do assassinato de apresentadora de TV em Angola alegaram estar sob efeito de drogas

214

Os cinco homens suspeitos da morte da ex-apresentadora da Televisão Pública de Angola (TPA), Beatriz Fernandes, e de Jomance Muxito, ocorrido no mês de Outubro, confessaram que cometeram os assassinatos sob efeito de drogas. Afirmaram ainda que pretendiam roubar a viatura.

Apresentados à imprensa pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) em Luanda, os cinco homens, um angolano e quatro estrangeiros, disseram que envolveram-se no assalto quando tiveram conhecimento de que a viatura das vítimas estava avaliada em mais de 80 mil dólares americanos.

São eles Ambrósio Miguel Mboma (Congo Brazaville), Marciano Pedro Eduardo “Gui” (Angola), Ndeku Nzinga, Lando Bicokizila “Lady” e Makalo Lubanza “Amissi”, todos os três naturais da República do Congo Democrático (RDC) e com idades entre os 25 e 52 anos.

Em declarações à Imprensa, o director provincial do SIC, subcomissário Amaro Neto, disse que dados preliminares apontam como o motivo do crime o roubo qualificado da viatura em que seguiam as vítimas e a extorsão de valores monetários através de saques no multicaixa.

O rapto ocorreu por volta das 20 horas do dia 25 de Outubro na avenida Deolinda Rodrigues quando os supostos criminosos, que transitavam num outro carro, visualizaram o automóvel em que seguiam as vítimas. Embateram propositadamente contra a viatura em que seguia Beatriz.

O condutor parou para ver os estragos causado pelo embate. Os meliantes desceram e, sob ameaça de morte, fizeram de refém a vítima, sem saberem que no carro seguia uma mulher e duas crianças. Os meliantes relataram ainda que rumaram para o município de Viana. Mas antes pararam em uma agência na Avenida Fidel Castro onde fizeram o levantamento, com dois cartões multicaixa da senhora, de cem mil, sendo 50 mil kwanzas em cada.

No meio de uma mata fechada, prosseguiu, colocaram as duas vítimas de joelho e depois de maus tratos efectuaram cinco disparos a queima-roupa, dos quais dois na senhora e três no homem. “ Os dois filhos da senhora presenciaram os maus tratos, bem como as mortes e posteriormente foram abandonados na Avenida Fidel Castro”, relatou.

Os supostos criminosos começaram a ser detidos, três dias depois, quando circulavam com a viatura nos arredores do distrito urbano do Kilamba-Kiaxi e no bairro Cassequel do Buraco, na Maianga.
Questionado sobre a suposta existência de um mandante do crime, o oficial superior da corporação disse que, até ao momento, não existem suspeitas para este caminho, mas as investigações continuam no sentido do esclarecimento total do delito e a detenção de outros possíveis implicados.

C/Angop

(Visited 223 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here