Tony Lopes exibe CD “Paródia Pegod”, um retrato das noites de Mindelo

80

O jovem artista Tony Lopes apresentou à imprensa esta quarta-feira, 29, o seu primeiro trabalho discográfico intitulado “Paródia Pegod”, que diz ser um retrato das noites de Mindelo. O CD, que estará à venda em breve, será dado a conhecer ao público esta sexta-feira num show no MindelHotel, com participação de Aline Rodrigues e da artista Raíssa Fortes.

“Paródia Pegod” é um disco feito para os apreciadores deste artista e que o acompanham por todos os lugares onde canta, mas também para os turistas que costumam a ouvir Tony Lopes nas noites de Mindelo. Composto por dez faixas musicais, nove são da autoria do próprio cantor e uma do jovem Alcindo Moreno. Os géneros são os mais díspares: bossa nova, afromusic, txabeta, coladera, funk, de entre outros. “Muitas pessoas escutam os meus trabalhos há muito tempo e incentivaram-me a gravar este CD”, revela Lopes, que aproveita para explicar a escolha do título “Paródia Pegod” porquanto, a seu ver, o álbum retrata o seu quotidiano em S. Vicente.

Não digo que sou ´parodiente`, mas faz parte da nossa cultura participar nas noites de música. Acabei por me inspirar nas voltas que damos e nas músicas que cantamos. É nesta lógica que escrevi o tema ´Mindelo`, porque sou um apaixonado por S. Vicente. Mas os artistas não têm fronteiras. Cantamos em qualquer lugar e qualquer tipo de música. Esta é a minha visão de paródia”, afirma este jovem, que vive exclusivamente da música.

Inteiramente gravado em São Vicente, no estúdio de Samuel Cruz, este álbum conta ainda com a participação de Nana Almeida, uma das suas peças fundamentais, mas também da banca composta por sete elementos: Olavo Fonseca (guitarra), Nune (cavaquinho), Nany (baixista), Edir (bateria) Gugas (teclado), Nana (piano) e Aline (coro). Banda que vai estar no palco com Tony Lopes na apresentação pública deste CD esta sexta-feira, no MindelHotel. Para além destes, são convidadas as novas vozes do Mindelo, Aline Rodrigues e Raiíssa Fortes.

Este disco é a concretização de um sonho que começou em 2002, quando Tony Lopes começou a cantar. A sua carreira ganhou contornos profissionais em 2006, altura em que começou a fazer coro de grandes artistas, caso de Zé Delgado, Grace Évora, Beto Dias, de entre outros. Uma experiência que Lopes considera “muito boa” e que espera continuar a fazer. “Vou estar sempre disponível para trabalhar com outros artistas. Sou também artista residente na Casa Café Mindelo, onde canto todos os fins-de-semana. Trabalho ainda em outros lugares. Hoje digo que vivo da música”, realça.

Constânça de Pina

(Visited 84 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here