UE denuncia grave atentado à liberdade de imprensa no RD Congo

32

A União Europeia (UE) denunciou em Bruxelas o recurso à violência e a repressão da imprensa pelas autoridades congolesas. O chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, disse lamentar o “grave atentado” à liberdade de expressão face às acções populares que exigem a alternância na direcção da República Democrática do Congo.

Esta reacção da União Europeia vem na sequência da acção das forças da ordem, que reprimiram de forma sangrenta as marchas convocadas pelos católicos, que exigiam a aplicação do Acordo de 31 de Dezembro de 2016, entre a Maioria Presidencial e a oposição, sob a égide dos bispos.

Os actos de violência causaram vários mortos e feridos, lamentou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, num comunicado.

O balanço da repressão dos manifestantes foi motivo de polémica entre a polícia, que nega qualquer morto, e outras fontes que falam de 12 mortes, entre os manifestantes. As autoridades chegaram inclusive a interromper a internet no país para evitar a comunicação com o resto do mundo.

C/Angop

(Visited 34 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here