FCT chama Ana Noro: Vice-campeã mundial prepara introdução de beach tennis em Cabo Verde

124
Foto: http://zoomaruba.com/

A atleta portuguesa Ana Noro desembarca na ilha do Sal no dia 27 de Setembro com o objectivo de ajudar a Federação Cabo-verdiana de Ténis a implantar o beach tennis em Cabo Verde. Vice-campeã mundial de pares, Noro vai deslocar-se ainda às ilhas de Santiago e São Vicente, e talvez Santo Antão, para formar treinadores e jogadores que servirão como difusores dessa modalidade praticada à beiramar e que faz parte dos desportos contemplados nos primeiros Jogos Africanos de praia, que acontecem em Junho de 2019 na praia de Santa Maria.

“O ténis de praia é uma mistura de ténis e voleibol, mas ainda não é praticado em Cabo Verde. Jogamos basicamente o ténis de quadra e há algumas pessoas que gostam de dar algumas tacadas com raquetes à beiramar. Ora, Cabo Verde vai acolher os primeiros jogos africanos de praia e, como país anfitrião, tem de montar a sua equipa. A federação de ténis não podia ficar de fora deste processo pelo que decidimos tomar a iniciativa de trazer Ana Noro, para repassar-nos a sua larga experiência”, explica Almada Dias, que chegou à fala com essa atleta através da Federação Portuguesa de Ténis.

O plano da FCT é criar núcleos no Sal, S. Vicente, Santiago e possivelmente Santo Antão, programar competições internas e preparar os atletas que podem constituir a selecção de Cabo Verde nestes meses que antecedem os Jogos Africanos. Para facilitar esse processo, a federação, segundo Dias, pretende envolver tenistas e treinadores já com alguma experiência, por estarem mais aptos a assimilar a nova modalidade com mais facilidade. Além de que, diz, o ténis de praia é mais fácil que o de quadra, e menos caro.

O ténis de praia, garante Dias, terá um departamento autónomo dentro da federação, pois acredita no seu rápido desenvolvimento, tal como aconteceu com outras modalidades náuticas, por exemplo, o bodyboard e o kytesurf. E, à semelhança destes desportos de mar, ele acha que dentro de pouco tempo Cabo Verde poderá ter praticantes de categoria internacional. Outro aspecto que ele considera importante é a oportunidade de o ténis de praia passar a ser mais um atractivo turístico.

Ana Noro deverá trazer os materiais – raquetes, bolas e redes – para a formação. Em princípio, cada sessão deverá contar com o máximo de 10 participantes, entre jogadores e treinadores. Um número que Almada Dias considera suficiente para esta primeira etapa. Os formandos terão depois que ajudar na divulgação do jogo, pois a ideia da FCT é promover campeonatos regionais e calendarizar uma prova nacional.

Kim-Zé Brito

(Visited 194 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here