“Expomar” alia-se aos 25 anos da Guarda Costeira: Demonstração aeronaval na Laginha antes da abertura da feira

522

A cerimónia de abertura da feira Expomar será marcada nesta sua sétima edição por dois momentos distintos: uma “parada” militar comemorativa dos 25 anos da Guarda Costeira na praia da Laginha – com a presença do Presidente da República enquanto Comandante Supremo das Forças Armadas -, e o discurso do ministro da Economia Marítima, José Gonçalves, nas instalações da FIC para convidados e expositores. Este ano, essa exposição temática resolveu associar-se à Guarda Costeira, unidade das Forças Armadas que elegeu como tema central da efeméride a segurança e monitorização da actividade marítima. Desse modo, segundo Gil Costa, administrador da FIC, haverá no dia 11 à tarde uma mostra de equipamentos aeronavais na baía da Laginha e um sobrevoo militar, seguido da imposição da continência ao presidente Jorge Carlos Fonseca.

Sessenta expositores, o mesmo número do ano passado, estarão presentes nesse evento sectorial, organizados em 79 stands. Segundo Costa, o grupo é composto em boa parte por empresas que estiveram na edição anterior, o que, na sua análise, comprova a satisfação dos participantes e a importância alcançada por essa montra. “Há uma taxa de retorno das empresas, o que mostra que reconhecem na Expomar uma plataforma ideal para as suas estratégias comerciais”, frisa o PCA da FIC, que está satisfeito com o caminho seguido até agora por esse evento ligado à economia marítima.

Aliás, esta edição da Expomar cai numa altura em que o Governo fala no início da materialização do propalado projecto da Zona Económica Especial da Economia Marítima, cujo epicentro será na ilha de S. Vicente, mais precisamente na praia de Saragaça. Para Gil Costa, os dados estão lançados para um “casamento” perfeito entre aquilo que o poder Executivo preconiza em torno do sector marítimo-portuário e o propósito desse evento, tanto assim que será o próprio ministro da tutela a presidir a abertura na próxima quinta-feira.

“O desafio é aportarmos mais dinâmica a cada edição. Fazendo uma comparação entre a Expomar e a FIC, que já vai na sua 22 edição, diria que estamos no caminho certo. Mas, por se tratar de uma feira embrionária há que se destacar o empenho dos parceiros, reconhecer o esforço do ministério da Economia Marítima, da Enapor – uma empresa âncora -, das Câmaras de Comércio e o apoio da Espanha na sua montagem”, elenca o gestor, para quem o Governo regional da Galiza tem atribuído uma importância estratégica à Expomar, pelo facto de boa parte dos serviços prestados por Cabo Verde serem direccionados para o mercado espanhol, tanto assim que volta a estar presente em S. Vicente com uma comitiva composta por 15 membros, entre representantes do poder político e da classe empresarial.

A Expomar decorre de 11 a 13 de Outubro na cidade do Mindelo sob o lema “Os oceanos, fontes de oportunidades e de crescimento sustentável” e a expectativa da organização é conseguir pelo menos a mesma dinâmica do ano passado com as bolsas de contacto e aumentar a presença de visitantes profissionais. “É uma plataforma de negócio, de interacção entre a procura e a oferta. Se a nível da oferta vai chegar o momento e que estaremos limitados em termos de capacidade de absorção, no quesito procura não há, no entanto, limites. Por isso contamos com a presença de empresários cabo-verdianos e estrangeiros porque queremos absorver todas as empresas que se gravitam em torno da economia marítima, de forma directa e indirecta”, salienta Gil Costa.

Ciente de que o sector é transversal na vida do arquipélago, a organização decidiu convidar o artista plástico Kiky Lima para fazer uma exposição de quadros alusivos à vida dos cabo-verdianos em torno do mar.

Kim-Zé Brito

(Visited 772 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here