Trump ordenou ataque ao Irão mas voltou atrás. Operação militar foi cancelada poucas horas depois

91

Os Estados Unidos da América estiveram perto de reagir ao abate a um drone norte-americano pelo Irão. De acordo com o New York Times, o presidente norte-americano, Donald Trump, aprovou o ataque militar ao país asiático esta sexta-feira em retaliação, mas terá recuado na intenção.

Os alvos, segundo uma fonte não autorizada a falar sobre o assunto à Associated Press, seriam vários radares e baterias de mísseis. O ataque terá sido recomendado pelo Pentágono, mas a operação militar foi cancelada por volta das 19h30 desta quinta-feira em Washington (00h30 de sexta-feira em Lisboa).

Em reação ao ataque iraniano ao avião não-tripulado dos Estados Unidos, Trump afirmou que o Irão havia cometido um “erro muito grande”. Questionado por jornalistas sobre se os EUA irão atacar o Irão em retaliação, o presidente norte-americano respondeu: “Em breve saberão”, referindo que tem provas de que o drone norte-americano se encontrava em espaço aéreo internacional e não em território iraniano, como o país asiático sugere.

Trump indicou, mais tarde, que acredita que o ataque não terá sido intencional. “Acho difícil que tenha sido intencional. Pode ter sido alguém relaxado e estúpido a fazê-lo.

Em reação, Washington confirmou o ataque ao pequeno avião não tripulado da Marinha norte-americana, mas reafirmou que este se encontrava em “espaço aéreo internacional”. De acordo com os responsáveis pela Defesa americana, “as informações iranianas segundo as quais o engenho aéreo sobrevoava o Irão são falsas”.

Exército norte-americano diz que drone estava a 34 km do Irão

Esta quinta-feira, o exército dos Estados Unidos comunicou que o drone abatido pelas forças iranianas estava a voar em alta altitude em espaço aéreo internacional no Estreito de Ormuz, aproximadamente a 34 quilómetros do ponto mais próximo do Irão, tendo caído em águas internacionais após o ataque iraniano.

“Este ataque perigoso e escalatório foi irresponsável e ocorreu na proximidade de pistas de aeroportos entre Dubai, UAE e Omã, possivelmente colocando em causa civis inocentes”, afirmou o tenente-general Joseph Guastella, comandante da Força Aérea dos EUA no Médio Oriente.

Entretanto, o Irão anunciou esta quinta-feira que pretende levar o caso do drone norte-americano abatido pelas forças iranianas “perante a ONU” para demonstrar que “os Estados Unidos mentem” e que Washington atacou a República Islâmica.

O anúncio foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, numa mensagem divulgada na rede social Twitter, na qual defende que o drone (aparelho não tripulado) encontrava-se no espaço aéreo iraniano.

“Vamos levar esta nova agressão perante a ONU e mostrar que os Estados Unidos mentem quando dizem que o drone estava sobre águas internacionais”, escreveu Mohammad Javad Zarif.

C/ Cmjornal.pt


(Visited 154 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here