2ª Região vence 13ª edição dos Jogos Militares: Ministro da Defesa exorta FA a participar em provas internacionais

204

O Comando da Segunda Região Militar é o vencedor da décima terceira edição dos jogos militares nacionais que aconteceram de 14 a 21 de Dezembro, em São Vicente. No segundo e terceiro lugar ficaram a Primeira e Terceira Região Militar, respectivamente. Além dessas unidades, o evento abrangeu os comandos da Guarda Costeira, as Operações Especiais e a Guarnição do Estado-Maior.

O Presidente da Comissão Técnica da 13ª edição dos jogos militares nacionais, Isaías Moniz de Brito, enalteceu os “bons resultados” alcançados pelas equipas, que, nas suas palavras, revelaram ainda um elevado espírito de fairplay e desportivismo, postura a condizer com o lema da competição: “Jogos Militares para saúde e camaradagem”. “Tivemos a participação de equipas dos escalões masculino e feminino e, ainda nesta edição, apostamos no reacender do Boxe, uma modalidade que há mais de dez anos, ou mais, não vinha sendo praticado no seio das Forças Armadas, em termos de competição”, afirma Isaías Brito.

Assim, o Boxe foi disputado nas categorias de 64kg – com as equipas da Segunda e Primeira Região Militar a levar para casa as medalhas de ouro e prata. Na categoria de 69kg, o trofeu ficou na Primeira Região militar, enquano a Unidade de Operações Especiais conquistou a medalha de prata. Por fim, nos 75kg, a Unidade de Operações Especiais levou o ouro e a Primeira Região Militar a medalha de prata. No cômputo global desta modalidade, a equipa vencedora de Boxe é a Primeira Região Militar, a Unidade de Operações Especiais é a vice-campeã.

A XIII edição dos jogos militares nacionais foi disputada ainda nas modalidades de Atletismo, com corridas de 100 metros, 400, 1500 e 5000 metros em masculino e feminino; Salto em comprimento; modalidades específicas militares – como o Pentatlo militar, corrida de orientação e marcha forçada – e Futsal. Nos desafios de orientação, a formação vencedora é a equipa da 2ª Região Militar, no segundo lugar ficou a Unidade de Operações Especiais e o terceiro posto foi ocupado pelo Comando da 3ª Região Militar. No Atletismo, a Guarda Costeira venceu a prova de 400m masculino, a equipa do Estado-Maior das Forças Armadas ficou em segundo lugar e a Unidade de Operações Especiais em terceiro lugar. No escalão feminino, a 1º Região Militar levou a melhor, deixando a 3ª Região Militar no segundo lugar e a equipa do Estado Maior das FA em terceiro lugar no pódio.

Após nove dias de intensa actividade física, atletas, equipas técnicas e organização reuniram-se ontem no pátio do quartel em Chã d’Cricket para receber os merecidos troféus e medalhas pessoais, numa cerimónia presidida pelo ministro da Defesa e honrada pelo Chefe de Estado Maior das Forças Armadas. Após felicitar a região vencedora do certame, o ministro Luís Filipe Tavares considerou a competição um testemunho inequívoco da contribuição que as Forças Armadas têm vindo a dar ao desenvolvimento dos desportos dentro da instituição e a nível nacional. Ele que se mostrou convicto de que a inserção do desporto militar no sistema nacional desportivo saiu reforçado graças ao sucesso do evento realizado na ilha de S. Vicente.

“Encorajo as FA a intensificarem a pratica da educação física, implementando um sistema de competições desportivas e multiplicando o número de atletas a nível nacional. Encorajo igualmente as Forças Armadas a reforçarem a sua participação no desporto militar internacional, dinamizando por essa via o intercâmbio com militares de outros países. Contarão certamente com o apoio do Governo”, assegura o governante, que felicitou o Tenente Jailson de Pina, considerado o melhor atleta dos Jogos Militares, e Anacleto do Rosário pela sua quarta participação nessa prova.

Para o CEMFA Anildo Morais, estão lançadas as bases para o desenvolvimento e inserção qualitativa dos desportos militares no sistema desportivo nacional, tendo ainda em vista a participação de Cabo Verde em competições internacionais. Além disso, o Chefe de Estado Maior realçou que a prática desportiva nas FA é hoje uma via privilegiada para a formação de atletas de excepção no país. “A nossa instituição está de parabéns por ter demonstrado uma excelente capacidade organizativa dos Jogos Militares. A realização dos 13° Jogos Militares é prova inequívoca da nossa contribuição para o desporto nacional”, frisa Anildo Morais, que reconheceu o esforço despendido pela 1 Região Militar, que, nas suas palavras, soube acolher os atletas e dirigentes enquanto anfitriã da décima terceira edição dos Jogos Militares.

A cerimónia de entrega dos troféus aconteceu ontem no Quartel Militar da 1 Região com desfile de mandingas, kolá San jon e demonstração de Capoeira e Karaté.

 

(Visited 297 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here