Altitude.cv leva 16 crianças a voar de parapente após campanha de limpeza na Praia Grande, em S. Vicente

685

Dezasseis crianças da Escola Portuguesa do Mindelo e da aldeia SOS juntaram as mãos com adultos e retiraram 10 sacos grandes de lixo do areal da Praia Grande, no passado Sábado. Como recompensa tiveram a rara possibilidade de realizar voos de parapente sobre essa zona do Norte da Baía das Gatas, a uma altura máxima de 350 metros, levadas por dois instrutores da empresa Altitude.cv. Para ganharem o direito a entrar nessa actividade, que contou com a parceria do Aeroclube de Cabo Verde – Associação dos Pilotos de Cabo Verde -, os alunos da EPM tiveram de produzir materiais e desenhos alusivos ao mundo da aeronáutica. Os autores dos seis melhores trabalhos foram selecionados e fizeram equipa com mais dez crianças escolhidas pelo referido centro juvenil nessa actividade.

“Cada voo demorou em média 15-20 minutos para podermos dar a oportunidade a cada uma das 16 crianças. Reagiram com a alegria própria da idade porque foi a primeira experiência. No entanto, elas já sabiam algo sobre o voo do parapente daquilo que ouviram de outros colegas que tinham voado antes e das imagens”, revela Emi Carvalho, responsável e instrutor de voo da Altitude.cv, para quem as crianças mostraram uma elevada motivação na campanha de limpeza tanta era a expectativa em voar de parapente.

Estas puderam planar sobre a praia Grande, o oceano e sobre as montanhas e ver parte da ilha de S. Vicente de uma perspectiva privilegiada. Aliás, várias crianças e adultos já tiveram essa sorte com a colaboração do português Emi Carvalho, instrutor de voo que descobriu S. Vicente em 2016, enquanto voluntário de um projecto social desenvolvido com a Associação Amigos do Calhau. Durante os sete meses que passou em S. Vicente teve a oportunidade de explorar a ilha e mapear as melhores zonas de voo, num total de doze. Segundo Carvalho, Cabo Verde apresenta boas possibilidades de uso do parapente, mas a região S. Vicente – Santo Antão é a mais ideal por possibilitar a realização de voo durante todos os dias do ano. Além disso, as duas ilhas oferecem imagens combinadas de montanhas, oceano e praias de mar.

As condições de voo são das principais razões que levam esse investidor a instalar a sede da Altitude.cv na ilha do Monte Cara. A partir de Janeiro, informa Emi Carvalho, passará a estar presente em S. Vicente de forma permanente e tocar o projecto para frente. A ideia é continuar a promover esse desporto em Cabo Verde, formar pilotos e oferecer serviço a nacionais, estrangeiros residentes e a turistas. Para o efeito pretende fazer uma abordagem mais forte junto das agências de viagem e turismo e hotéis de modo a conseguir mais turistas como clientes. “O principal objectivo é tornar a empresa sustentável e ao mesmo tempo formar pilotos qualificados”, esclarece Carvalho, cuja empresa tem neste momento disponível 3 parapentes duplos – que possibilitam voos com instrutor e passageiro – e nove individuais, que utiliza nas aulas.

A segurança é a principal preocupação que norteia a decisão dos monitores da Altitude.cv, segundo Emi Carvalho. “O parapente pode ser muito inseguro ou extremamente seguro dependendo das decisões tomadas. A primeira preocupação é a segurança, isto é, se há boas condições meteorológicas de voo. Tentar voar no dia errado torna este desporto muito perigoso”, adverte o instrutor, que ainda não sofreu nenhum acidente em Cabo Verde. Isto porque, explica, vem da Escola Suíça onde a segurança é uma questão crítica. Aliás, faz pouco tempo, revela, negou voar durante dois dias no interior de Santiago por causa das condições meteorológicas, apesar da pressão para colocar o parapente no ar. Segundo o instrutor, se as medidas de segurança forem levadas em devida conta, andar de parapente é mais seguro que conduzir um carro.

Kim-Zé Brito

4 COMENTÁRIOS

  1. Quem dá autorização pa ess voos? AAC ta informod? Quem podê leva mnis assim na atividade perigosa, onde mudança de vento podê ptas na tchon? Quem ta pagá responsabiliza se es ta dá na pedra?

    • Adorei caro amigo, se ess moce k sabe pensá positive untom pel stode de boca ftchód até t uvi galinha t caçarejá na sê porta. Tchá nôs menine realizá ses sonho e talvez és podé ser Geração de Amanhã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here