Arlindo do Rosário: “Queremos que o HBS seja um pólo de referência para a região norte”

168

O Ministério da Saúde quer que o Hospital Baptista de Sousa seja um pólo de referência para situações de saúde de maior complexidade para a região norte do país. Esta afirmação foi feita pelo ministro Arlindo do Rosário durante a assinatura do contrato com a Câmara Municipal de São Vicente para a cedência do terreno de “basquet” para a construção de um bloco ambulatorial do HBS.

Temos dois bons hospitais, o Agostinho Neto e o Baptista de Sousa. Queremos é que sejam de facto pólos de referência para situações de saúde de maior complexidade. A possibilidade de se criar um bloco ambulatorial no HBS, aproveitando essa disponibilidade da Câmara na cedência no terreno, irá trazer uma mais valia para o hospital. Teremos um espaço com serviço de cirurgia ambulatorial e outras valências. Daí que vai descongestionar a parte existente do hospital e criar condições para o desenvolvimento da saúde na região norte”, disse Arlindo do Rosário.

O ministro espera que as obras do bloco ambulatorial arranquem ainda este ano. O orçamento é de 250 mil contos, financiados pelo Estado de Cabo Verde, com recurso aos fundos do Kwait. “A partir do mês do Maio já teremos todo o projecto da ampliação do HBS concluído e pronto para ser lançado a concurso. Diremos que no final do primeiro semestre, ou início do segundo, a obra já estará adjudicada. Existe financiamento, o projecto está muito bem avançado e poderemos arrancar com a construção para a melhoria da saúde em São Vicente e em Cabo Verde” acrescentou o titular da pasta da saúde, prometendo arrancar para breve com a construção do projecto do Centro de Hemodiálise para a região norte.

Pelo menos 40 por cento das pessoas que estão a fazer hemodiálise em Cabo Verde são da região norte e a possibilidade de termos aqui, no segundo maior hospital do país, um centro de hemodiálise irá trazer benefícios para os doentes e familiares. De facto consideramos que será uma grande valia para essa região.”

Além disso, segundo o Ministro, perspectiva-se a construção do Centro de Saúde de Monte Sossego, apesar de o Governo estar ainda a buscar financiamento. Garante, no entanto, que a infraestrutura será um verdadeiro centro de Saúde Urbano, com capacidade para responder a uma população que cresce a cada dia. “Albergará valências importantes não só na área de prestação de cuidados médicos, mas também de enfermagem, de fisioterapia, entre outros. Teremos a possibilidade de Monte Sossego vir a ter o primeiro centro de saúde urbano com características para cobrir uma população relativamente grande e deixar ao hospital espaço e oportunidade para se desenvolver em relação às situações de maior complexidade”, sustenta o ministro, para quem o MSSS também vai continuar a investir nos recursos humanos e na eficiência da gestão das infraestruturas de saúde em Cabo Verde.

Augusto Neves, presidente da Câmara Municipal de São Vicente, disse que a cedência do terreno do “basquet” espelha toda a vontade da autarquia em melhorar a qualidade de vida dos sãovicentinos porque a requalificação do HBS, que serve toda a região norte, já se fazia sentir. “Para nós a saúde está em primeiro lugar e, como eu tinha dito outrora, a saúde não se mede em metros quadrados”, referiu Neves, em resposta às críticas sobre o tamanho desigual dos terrenos que foram objectos dessa permuta. O edil regozijou-se porque o início das obras no HBS e do Centro de Saúde de Monte Sossego irá garantir postos de trabalho para as pessoas de São Vicente.

Quem também está em São Vicente é o Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, para lançar o projecto da Golden Tulip Mindelo e assistir ao Carnaval do Mindelo.

CD

(Visited 195 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here