Campus talento de basquetebol no Mindelo: Pere Galego elogia técnica e atitude de jovens atletas cabo-verdianos

81

Pere Galego, ex-técnico do Barcelona, considerou “fantástica” a capacidade técnica e atitude dos 15 jovens atletas que participaram num campus nacional de basquetebol que ministrou no passado fim-de-semana na ilha de S. Vicente, em parceria com Emanuel Trovoada, treinador da selecção de Cabo Verde. Segundo Galego, se for levada em conta as condições logísticas e financeiras dos seus clubes e o nível de formação dos treinadores regionais, os jogadores escolhidos para a clínica estão num nível técnico bastante aceitável. “Imagino onde estariam se tivessem mais bolas e mais horas semanais de treino”, frisa esse formador espanhol, que mostra um grande respeito pelo potencial do basquetebol cabo-verdiano. Como lembra, Cabo Verde é um pequeno país com uma população exígua, mas que conseguiu conquistar a medalha de bronze no Afrobasket e ser o berço de jogadores com a qualidade de Eddy Tavares e Betinho.

“Eddy Tavares é um jogador que pode inspirar os mais jovens. É uma pessoa humilde, sempre sorridente e que trabalha com garra. Hoje, se perguntares aos treinadores das principais equipas europeias qual o jogador que gostariam de ter no seu plantel o seu nome é dos primeiros a ser pronunciado”, garante Galego, que, aliás, trabalha com a agência que representa o “gigante” da ilha do Maio.

Galego deslocou-se à cidade do Mindelo enquadrado num programa de formação direccionado para jovens basquetebolistas do continente africano, apadrinhado pela Academia Ibaka, criada pelo internacional congolês Serge Ibaka, estrela do basquetebol norte-americano. A clínica consistiu na abordagem de alguns conceitos tácticos, como por exemplo o jogo ofensivo, com reacções à posse da bola: receber, fazer penetrações, trabalhar os espaços, atacar nas costas dos defensores. Exercícios que, segundo Galego, os participantes conseguiram interiorizar.

Foram 15 os jovens escolhidos para participar nesse campus de talentos. Inicialmente, informa Emanuel Trovoada, seleccionador da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol, estava inscrito um lote de 35 atletas de quase todas as ilhas. O grupo final foi composto por 15 elementos das ilhas de Santiago, Fogo, Sal e S. Vicente, ilha que conseguiu colocar oito jogadores nessa lista.

“Pere Galego veio mostrar aos jogadores e treinadores onde podem melhorar a qualidade dos nossos talentos, mas também com o intuito de abrir as portas a um ou outro atleta para o mundo profissional”, informa Trovoada, lembrando que o próprio Serge Ibaka foi um jovem que viveu na rua e foi resgatado graças a sua entrega ao basquetebol. “Hoje ele quer dar aos jovens a oportunidade que ele não teve na sua adolescência, daí esse importante projecto desenvolvido pela sua academia”, salienta o técnico da FCB, deixando claro, no entanto, que Galego não é um olheiro, mas basicamente um formador.

Questionado por Mindelinsite, o técnico espanhol admite que alguns dos jovens que participaram na clínica têm condições para seguir carreira internacional, desde que encontrem as condições ideais. Como Galego admite, viu cinco ou seis jogadores de 15-16 anos de idade que têm potencial e que poderiam tentar seguir a via profissional.

Kim-Zé Brito

(Visited 135 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here