CMSV inaugura balcão único de atendimento público: Acelerar a resposta administrativa e facilitar a vida aos utentes

695

A partir de hoje, quem procurar os serviços administrativos da Câmara de S. Vicente vai encontrar um ambiente físico diferente e provavelmente uma equipa de front office com outra motivação e profissionalismo. Esta tarde, o edil Augusto Neves inaugurou o balcão único de atendimento, um espaço reformado e mais amplo que integra os vários serviços municipais prestados na cidade do Mindelo. Com essa operação, foram eliminadas as diversas salas e criada uma ala única, munida de computadores e uma equipa técnica trajada agora com polo de cor azul.

Segundo o vereador Rodrigo Rendall, esse investimento enquadra-se num projecto mais alargado de modernização administrativa da autarquia mindelense e que tem como principal objectivo dar o melhor atendimento possível aos utentes. “O balcão visa simplificar a relação entre os cidadãos e a Câmara. O que temos aqui é resultado de um trabalho de restruturação organizacional que facultou a integração de serviços e dos vários front-offices num único espaço”, explica o referido vereador, assegurando que essa medida será acompanhada de um plano de formação contínua dos funcionários da CMSV, para reforçar as suas capacidades técnicas e melhorar a sua relação com o público.

Para o autarca Augusto Neves, o balcão único de atendimento é um investimento de “muita responsabilidade”, se for levado em conta que S. Vicente alberga neste momento 83.000 pessoas e que diariamente “muita gente” procura os serviços da CMSV para resolver os seus problemas. O desafio, na sua perspectiva, será acelerar a capacidade de resposta do atendimento público e combater a burocracia. Uma das vias, diz o presidente da CMSV, é a desmaterialização dos procedimentos, processo que a edilidade já iniciou. “O processo está a ser iniciado agora, tem sido um trabalho árduo, mas vamos continuar porque ainda falta muito por fazer”, reconhece Neves, que se mostra apto a escutar “críticas construtivas” e levá-las à prática, se for possível. Aliás, segundo o edil, essa obra é resultado de sugestões de munícipes e também da observação feita a nível interno.

O ano 2019, na opinião de Fernanda Vieira, não poderia começar da melhor forma para os profissionais da Câmara de S. Vicente e os próprios munícipes. “A primeira sensação que tive quando aqui cheguei, e encontrei tudo ‘blue’, foi de serenidade. Apelo a todos aqueles que trabalham no atendimento que mantenham um espírito aberto de boa disposição e tenham sempre em conta que todos gostamos de ser bem-recebidos. Todos sabemos que onde há front-office há sempre desagrado e críticas, mas estamos aqui para melhorar e alegra-me saber que vai haver uma aposta na formação contínua do pessoal”, realça a presidente da Assembleia Municipal de S. Vicente, instituição que, aliás, vai também receber reformas no serviço de atendimento ainda este ano.

Kim-Zé Brito

(Visited 1.014 times, 1 visits today)

5 COMENTÁRIOS

  1. Claro que ficou mais moderno e certamente mais produtivo e eficiente. Agora a Câmara precisa é de acabar com burocracias inconcebíveis, do tipo pedir-se uma planta de localização a um serviço da Câmara, para se entregar noutro serviço da própria Câmara. E dão-te logo um prazo de espera de 20 dias, quando aquilo está lá no computador, e pode ser disponibilizado na hora, o que acontece com uma certidão matricial. Quando se vai fazer uma inscrição no tombo, vai-se à Tesouraria pagar, e muitas vezes tem-se que aguardar vez, por bom tempo. Dois ou três dias depois volta-se para levantar a certidão e vai-se à Tesouraria novamente com um código para pagar a certidão. Dependendo da pessoa, o custo do tempo de espera pode ser superior ao custo da certidão. Sem contar que tem gente que vai depender de um pedido de licença no trabalho. Ora, por que não se paga logo de uma vez a inscrição no tombo e a respectiva certidão ? Sem contar que agora inventaram de pedir, para efeitos de registo, uma certidão de cadastro, só para dizer que não há cadastro. Se sabem que ainda não se fez o cadastro das propriedades na cidade, para quê pedir certidão? São essas burocracias sem sentido, que atazanavam a vida das pessoas. Mas o actual layout dos Serviços da Câmara pressagia o início das mudanças necessárias.

  2. Sou procurador da sra Lucia Rodrigues Andre dei entrada a um projecto de construção ate ainda não aprovado desde de 19 Qutubro 2018 o dono e imigrante quer construir e nao porque consegue dizer aonde se o processo Sr Presidente tem que assumir depois da minha presença com comprovante recebio e 2a via do processo de cada que dirijo ao atendimento quem me diz nao se sabi localizado do processo o sr pode dizer a quem devo dirigir pra caso fique resolvido a dono esta ser lesada

  3. Mas o parque infantil da Praça António Aurélio Gonçalves continua sem sanitários para adultos. Ao ser informado disso quando tentava entrar, um pai francês exclamou.”Quem fez isso não tem cabeça!!!

  4. Para haver melhorias, aquelas que a população reclama, a CM precisa melhorar substancialmente o BackOffice. Os responsáveis, particularmente os vereadores, devem poder assumir as funções que lhes foram confiadas …

  5. Layout bastante bonito e pouco mais que isso. O pessoal ao balcão é para tudo e poucos entendem dos processos porque não estão habilitados para tanto. O atendimento é feito aleotóriamente, quando devia haver especialização, pois como está, chega-se, tira-se um numero, as tentas é-se chamado, se ouvir, porque não há um painel electrónico onde se possa ver o número chamado, adivinhando qual é vai-se ao atendente , para saber que o assunto deve ser colocado a outro atendente de outro lado. A Câmara não consegue comprar um painel electrónico onde se veja os números chamados?
    Que há aí algum servidor competente, que entenda bem dos processos, acredito que sim. Mas foi colocada gente sem preparação, recrutadas em tempos de campanha eleitoral, enquanto há vários funcionários que já provaram alto grau de competência e competência, mas estão na prateleira, apenas por razões da sua opção política.
    Nunca dei, não darei palmas a mediocridades cosméticas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here