Conselho Nacional do Desporto: Elísio Freire anuncia 21 mil contos para certificação do estádio Adérito Sena

447

O ministro dos Desportos realçou esta manhã que foi destinada a quantia de 21 mil contos no Orçamento do Estado para a certificação do estádio de futebol Adérito Sena, processo há muito em curso e que visa garantir a realização de jogos internacionais nesse relvado. Segundo Fernando Elísio Freire, que discursava na abertura do Conselho Nacional do Desporto, o Governo assumiu a responsabilidade de actuar junto com a Federação Cabo-verdiana de Futebol e a FIFA, tendo prometido a atribuição desse montante, passo já dado. “O Governo prometeu 21 mil contos e inscreveu esse montante no Orçamento do Estado, estando disponível para ser usado”, frisou Freire na cidade do Mindelo, palco da oitava reunião do CND, adiantando que o propósito do Executivo é dotar todos os municípios de infraestruturas desportivas.

Entre os avanços alcançados neste domínio, Freire fez questão de enaltecer os investimentos feitos no Gimnodesportivo Vavá Duarte e no Estádio Nacional, todos na cidade da Praia. Como ele próprio sublinhou, estas duas infraestruturas estão a ser galgadas ao patamar de “verdadeiras casas do desporto nacional”. “O estádio (nacional), para além da casa dos Tubarões-Azuis, está a ser transformada para ser um centro especializado de atletismo a nível regional. Por isso já investimos cerca de sete mil contos na certificação da pista e do estádio para poder receber eventos desportivos internacionais e é ainda a sede do centro de rendimento da ONAD-CV”, disse Freire. Quanto ao gimnodesportivo, acrescentou o governante, continuará a ser reabilitado com novo piso e cobertura exterior para ser também uma referência regional.

Para 2020, o Orçamento do Estado disponibiliza 223 mil contos para o desporto. Este montante, segundo o governante, será aplicado para reforçar parcerias entre os poderes públicos e as federações mediante a assinatura de contratos-programa (93 mil contos), disponibilizar instrumentos e infraestruturas e garantir cuidados médicos aos atletas (60 mil contos), promover eventos nacionais e internacionais (4 mil contos), fazer de Cabo Verde uma referência na promoção da cultura antidopagem e garantir a participação nacional em competições mundiais (23 mil contos), valorizar os desportos náuticos e o reconhecimento das potencialidades do arquipélago (15 mil contos) e estimular a prática do desporto federado/alto rendimento através do programa Mexi Mexê, desporto escolar e bolsa atleta (28 mil contos)…

Com estas medidas, realça Elísio Freire, até o final de 2020, 1.742 atletas cabo-verdianos estarão habilitados para participar em eventos nacionais, 674 terão condições de competir em provas internacionais, o edifício do gimnodesportivo Vavá Duarte estará requalificado e implementado o Instituto do Desporto e da Juventude.

“Após intenso diálogo com os desportistas e agentes, através do Conselho Nacional do Desporto, optamos pela criação do Instituto do Desporto e da Juventude. O decreto-lei que cria o instituto e respectivos estatutos já foram aprovados pelo conselho de ministros e consta do Orçamento do Estado para 2020”, informou o ministro, que elencou vários ganhos que, na sua óptica, foram alcançados no desporto nestes três anos e meio do mandato governamental.

A primeira medida foi a reactivação do próprio Conselho Nacional do Desporto, que, segundo o ministro, se encontrava inactivo. Outro passo foi alterar a composição desse encontro anual, abrindo-o à participação dos comités olímpico e paraolímpico e um representante da área do turismo. Além disso, o ministério, disse Freire, conseguiu promover a realização do encontro anual dos vereadores do desporto.

No domínio legislativo, prosseguiu Freire, vários foram os diplomas até então aprovados: a nova lei de base da actividade física e do desporto; o decreto que estabelece as condições de atribuição do estatuto de utilidade pública desportiva; a regulação do estatuto do praticante desportivo em regime de alta competição; a lei que regula o regime da bolsa-atleta; o regime que especifica os prémios a atribuir aos atletas individuais e equipas em representação de Cabo Verde; portaria sobre o apoio às escolas de iniciação desportiva, clubes, associações e federações; regime jurídico das selecções; lei anti-dopagem e por último a legislação que cria o Instituto do Desporto e da Juventude.

No ano passado, salientou o ministro, foi registado um crescimento assinalável de federações desportivas em Cabo Verde, que passaram de 11 para 17, com o surgimento das representações nacionais nas modalidades da natação, halterofilismo, ciclismo, surf, judo e esgrima. Tudo isso mostra uma nova dinâmica desportiva, mas ao mesmo tempo, diz Freire, traz novos desafios a nível do financiamento e da organização.

Cabo Verde, enalteceu o governante, tem sido palco de provas desportivas ímpares, boa parte realizada este ano: a Africa Youth Cup de futebol – realizada nas cidades da Praia e de S. Domingos -, a Cabo Verde Triangle Trail – nas ilhas do Fogo, Santiago e Santo Antão -, Liga dos Campeões Africanos de Andebol – cidade da Praia. Em 2020, o arquipélago voltará a ser palco de acontecimentos desportivos de calibre internacional como o circuito mundial de Kitesurf e mais uma edição do Cabo Verde Triangle Trail. No ano seguinte está prevista a chegada ao Porto Grande do Mindelo da Volvo Ocean Race, a maior regata do mundo.

Tudo isso, no entendimento de Elísio Freire, prova que está a acontecer um novo paradigma no desporto cabo-verdiano, “com resultados visíveis”.

(Visited 703 times, 16 visits today)

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here