Deputados da UCID mudam de lugar e presidente da AN suspende sessão parlamentar

377

O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, suspendeu esta manhã a sessão parlamentar e convocou uma conferência de representantes para tentar resolver um desentendimento entre a bancada da UCID e a mesa da AN. É que os deputados desse partido decidiram mudar de lugar, à revelia da mesa, por considerarem que da maneira como estavam não lhes permitia fazer o seu trabalho da melhor forma.

Tudo começou quando o líder parlamentar do MpD, Rui Semedo, alertou o presidente da AN de que os deputados democratas-cristãos mudaram de lugar, sem a devida autorização. Este pediu ao Presidente da Assembleia que mandasse os eleitos regressarem aos respectivos lugares tendo em conta que quem decide a posição dos deputados é o presidente da AN.

Em resposta, Jorge Santos reconheceu que só naquele momento deu conta da mudança dos deputados da UCID e pediu-lhes que regressassem aos respectivos lugares. Irredutivelmente, o líder democrata-cristão, António Monteiro, negou justificando que ele e os seus colegas estavam posicionados numa espécie de fila indiana o que dificultava o trabalho. Por causa desse desentendimento, o deputado do PAICV, Felisberto Vieira, aconselhou Jorge Santos a suspender os trabalhos por não estarem reunidas as condições.

Logo de seguida António Monteiro usou da palavra para justificar a decisão da sua bancada. Segundo Monteiro, desde o primeiro dia que chegaram à Assembleia Nacional os deputados da UCID não se sentaram nos respectivos lugares em protesto pelas condições que lhes foram oferecido dentro da sala. Monteiro lembrou que estão lá a representar o país por isso exigem melhores condições, por questão de honra.

Nós tivemos a oportunidade de conversar com a mesa sobre esta matéria e não tivemos uma única resposta. Falamos com o líder parlamentar do MPD, não tivemos resposta e isto é uma questão de honra. Os deputados da UCID estão aqui enquanto representantes da nação e em todos os parlamentos do mundo os partidos que estão representados numa sala têm a oportunidade de ocupar um lugar com as condições normais de trabalho. O que neste caso nós não temos”, protestou o presidente da UCID, afirmando que, se for necessário abandonar a sala da Assembleia, iriam fazê-lo.

Sem saída, o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos interrompeu a sessão parlamentar ao abrigo do artigo 122, por considerar que não havia condições para manterem a ordem na sala. Santos convocou imediatamente uma conferência de representantes, nos termos regimentais para resolver o impasse.

Entretanto, a sessão foi retomada com a discussão sobre as políticas de habitação, com o programa “Casa para Todos” no centro das atenções. Enquanto o MpD (situação) criticou o programa colocando a tónica nas derrapagens financeiras e nas habitações inacabadas e o PAICV garantiu que o programa era uma boa para reduzir o défice habitacional no país. O partido tambarina acusou ainda o MpD de deixar habitações prontas a deteriorar para desvalorizar o programa Casa Para Todos.

(Visited 402 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here