Desmaios “inexplicáveis” provocam clima tenso no liceu Jorge Barbosa (c/ vídeo)

9388

Esta manhã, dezenas de alunas e um aluno apresentaram sinais de forte perturbação na Escola Secundária Jorge Barbosa,em São Vicente, provocando um clima tenso dentro e fora do estabelecimento de ensino. Alertado, o Mindelinsite chegou ainda a tempo de presenciar uma série de ocorrências à porta da escola, com praticamente as mesmas características: gritos profundos e arrepiantes de alunas, seguidos de desmaios ou agitação descontrolada das adolescentes, caracterizada por uma exagerada força física.

A cada crise, os estudantes aglomeravam-se à volta da vítima, uns por curiosidade, outros para tentar acalmar e ajudar a colega. Algumas das alunas atingidas por esse tipo de ataque choravam desesperadamente e apresentavam um semblante alterado.

No espaço de uma hora ocorreram pelo menos sete casos consecutivos, todos fora do liceu. E, conforme a nossa reportagem apurou no local, as primeiras crises aconteceram por volta das sete e meia da manhã. Quando a nossa reportagem abandonou o local passavam das onze. Ou seja quase quatro horas de ocorrências bizarras, que ninguém conseguia dar uma explicação plausível.

Na verdade, os desmaios/agitação começaram ontem com o registo de quatro casos. Hoje voltaram a acontecer desde o arranque das aulas. Conforme relatos de alunos e professores, o primeiro caso aconteceu na turma B do 11º ano. No entanto, outras fontes afirmam que foi numa aula de Educação Física. O certo é que algumas alunas trajavam equipamentos desportivos e outras usavam fardas, o que acaba por comprovar que a crise afectou tanto as estudantes que estavam a praticar desporto como as que assistiam a aulas dentro das salas. Outro dado curioso é que a situação acabou por atingir turmas do 7º ao 12º ano, como um efeito dominó.

“Na minha sala, uma colega levantou-se e começou a gritar. De repente pegou na carteira e arremessou-a. A força foi tanta que a mesa embateu no tecto. Ficamos todos admirados porque ela é pequenina e magrinha, não tinha força suficiente para arremessar uma secretária daquela forma,” conta um aluno do sétimo ano, cuja versão foi corroborada por outro colega. Conforme outros dois alunos, uma colega levitou-se por escassos segundos e ficou a pairar erecta, com a cara para cima e a gritar.

Esses casos ocorreram na maior parte com alunas, mas desta vez um aluno também foi afectado. Aliás, exactamente na altura em que a nossa reportagem chegou à escola encontramos o aluno a ser assistido por colegas, que o transportaram para fora da escola. Alguns entevistados por este diário digital, entre os quais estudantes da ESJB, acreditam que esta inusitada situação tem tudo a ver com fenómenos sobrenaturais, ou seja, relacionam as estranhas ocorrências com a intervenção de espíritos malignos. Aliás, um professor abordado por este diário digital confessa que ficou a saber que alguns alunos andam a fazer um jogo chamado “Charlie” que visa evocar um espírito maligno. “Agora, não há como saber se uma coisa tem alguma relação com a outra”, salienta.

O relatado episódio deixou a direcção da escola Jorge Barbosa literalmente com os pés no ar. Como confessa Gilda Fortes, Directora do estabelecimento, ninguém sabe dizer ao certo o que se passa. “A única coisa que posso dizer é que desde a altura em que os alunos começaram a desmaiar chamamos os bombeiros para levá-los ao hospital, mas chegaram lá e os médicos disseram que não têm absolutamente nada. Já lhes demos  tratamento psicológico  e não podemos dizer muito mais do que isso porque  nós não sabemos explicar realmente o que está a  acontecer” afirma Gilda Fortes, que providenciou assistência psicológica às discentes no gabinete de orientação  da escola.

Segundo a directora, ontem tiveram apenas quatro casos, nada que se compara ao dia de hoje em que alunas de várias turmas sofreram crises de histeria. “Eu tenho a impressão que os alunos estão a entrar em pânico e isso está a contagiar uns aos outros”, comenta essa professora, que diz ser a primeira vez enquanto directora que presencia casos deste tipo nesta escola. “Há alunos que sentem mal-estar e desmaios, mas não a este nível. Isto é inexplicável. Estamos a fazer um levantamento para depois entender o que se passa,”frisa.A direcção decidiu suspender as aulas no período da manhã devido ao clima tenso em que os alunos se encontravam.

Desmaios de alunas nas escolas secundárias de Cabo Verde tornaram-se frequentes. Há ocorrências parecidas registadas no Liceu Ludjero Lima – S. Vicente -, escola Suzete Delgado, nos Liceus do Eito e de Coculi – Santo Antão -, na cidade da Praia e na ilha Brava. Há anos que isso acontece, mas até hoje ninguém ousou afirmar qual a causa desses fenómenos.

Carina David/KzB

Gritos

O que será? Ninguém fica sem fazer essa simples mas fundamental pergunta perante o que este vídeo mostra: gritos profundos e até aterradores de alunas da escola Jorge Barbosa, que parecem estar "possuídas" por uma força indomável. O fenómeno não é novo, tendo já acontecido no liceu Ludjero Lima, em S. Vicente, e noutras secundárias de Santo Antão, Santiago e Brava. Desengana-se no entanto quem pensa que é exclusivo de Cabo Verde. Alertado por essa ocorrência, Mindelinsite acorreu de imediato às imediações da escola Jorge Barbosa e deparou com o cenário descrito por este vídeo. Em menos de uma hora, foram registados sete casos, todos com as mesmas características. Para preservar a identidade das estudantes, evitamos mostrar as suas caras. O importante não é quem são, mas o que aconteceu.

Publicado por Mindel Insite em Quarta-feira, 15 de Novembro de 2017

(Visited 10.042 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here