Eleições em Portugal: Sondagens dão vitória ao PS

124
Foto: www.distritonline.pt

Uma sondagem encomendada pelo canal de televisão SIC e o jornal Expresso revelou que o Partido Socialista ganharia as eleições em Portugal com maioria absoluta, se a votação fosse nos primeiros dias de Setembro. Estes dados foram alcançados por um estudo de opinião coordenado pelo ICS/ISCTE, como revela a SIC.

A menos de um mês das eleições, o PS, acrescenta a SIC, aumenta a vantagem e chega aos 42% das intenções de voto. Mais 19 pontos do que o PSD, que mantém os 23% da última sondagem realizada.
O Bloco de Esquerda, integrada pelo encenador teatral João Branco, cai para os 9 por cento, enquanto a CDU “escorrega” para os 6 por cento. O CDS e o PAN mantêm as intenções de voto da última sondagem.

O trabalho de campo da GFK Metris foi realizado entre os dias 24 de Agosto e 5 de Setembro com base em 801 entrevistas diretas e pessoais. A margem de erro máxima é de 3,5%, o nível de confiança de 95 por cento.

Entretanto, uma outra sondagem apresenta dados diferentes, embora confirme o favoritismo do PS. Conforme o jornal Observador, o partido de António Costa deixaria escapar a maioria absoluta por apenas dois deputados. Teria cerca de 37,9% dos votos e 114 deputados — se as eleições legislativas de 2019 fossem hoje. Segundo uma nova sondagem feita pela Intercampus para o Jornal de Negócios e Correio da Manhã, este seria o desfecho do sufrágio do próximo dia 6 de Outubro de 2019, mas outras surpresas também estariam na manga.

A notícia, que aparece em destaque esta sexta-feira na primeira página de ambos os jornais, dá conta daquilo que outros estudos e projeções já tinham apontado: o favoritismo do Partido Socialista. Este trabalho mais recente explica ainda que, no caso do PSD, por exemplo, estaria em cima da mesa um resultado na ordem dos 23,6%, o equivalente a 67 deputados, que colocaria o partido de Rui Rio no segundo lugar do pódio eleitoral a uma distância considerável do partido do atual Primeiro-ministro.

Das forças à direita no espectro político destaca-se também o CDS-PP que registaria algo como 6,3% dos votos dos portugueses, nove deputados. Nas últimas eleições, o partido de Assunção Cristas concorreu coligado com o PSD no movimento a que chamaram de PaF (Portugal à Frente), elegendo 107 deputados.

C/SIC Notícias e Observador.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here