Ivo dos Santos, um “gigante” do andebol cabo-verdiano na Alemanha

771

Ivo dos Santos, andebolista formado nas fileiras do FC Batuque, vai continuar a sua carreira profissional na Alemanha, mas agora no plantel do Bergisher HC, clube da terceira divisão. Depois de uma temporada no Pirates Leichlingen, onde se destacou pela sua agressividade defensiva, o atleta de 27 anos quer cimentar a sua experiência competitiva agora num outro emblema alemão. “O Leichlingen tem uma boa equipa, mas não tinha como objectivo subir de divisão porque o pavilhão do clube não preenche os requisitos para receber jogos da segunda divisão. Ficamos no quinto lugar, vários jogadores sofreram lesões e não pudemos ir mais longe”, informa Ivo dos Santos.

Para a próxima época, o objectivo deste jovem de dois metros é ajudar o Bergisher a passar para a segunda divisão. Um desafio e tanto, já que, segundo desportista, o plantel é composto por jogadores bastante jovens. Mesmo assim acredita que, após a necessária adaptação, a equipa vai melhorar o rendimento e manter o foco.

“Fui para o Bergisher porque o treinador tinha mostrado interesse na minha pessoa e porque pretendiam baixar os salários no Leichlingen”, explica esse internacional das selecções sub-16 e sub-20 de Cabo Verde, que se mostra impressionado com a forma como a modalidade é vivenciada na Alemanha. Depois de jogar em Portugal e Áustria, confessa que nunca encontrou um ambiente tão empolgante à volta do andebol como o existente na Alemanha. “Até nos jogos da quarta divisão os recintos estão cheios e com uma boa adrenalina no campo e nas bancadas.”

Amante acérrimo do desporto, Ivo dos Santos já praticou futebol, ténis e basquetebol, mas acabou por se adaptar melhor ao andebol. Como diz, teve a sorte de ser conduzido pelas mãos do técnico Didi Duarte, um dos principais formadores de atletas de alto nível em Cabo Verde. Segundo Ivo, quando partiu com 16 anos para Portugal já tinha uma boa base técnica. Começou a jogar na equipa de formação da Amadora e, após fazer um jogo treino contra o Benfica, chamou a atenção do técnico do clube da águia. Semanas depois recebeu uma proposta para assinar pelo emblema encarnado. “Fiquei super contente”, confessa.

Para ele, passar a treinar pelo Benfica foi a entrada numa outra realidade desportiva. Com determinação e empenho conquistou o seu lugar no plantel júnior e acabou por ser chamado para a equipa principal. Só que passou a jogar cinco a dez minutos, pelo que acabou por ser emprestado ao Belenenses. Neste clube, encontrou espaço para crescer enquanto lateral esquerdo titular. “Foi a minha grande oportunidade, jogava 50 a 60 minutos”, revela o atleta, que foi, entretanto, convidado pelo técnico português Pedro Alvarez para tentar a sorte na equipa austríaca de Hib Handball Graz.

“Estava no final do contrato e acabei por aceitar o desafio”, diz Ivo, que se adaptou rapidamente ao andebol praticado na Áustria, tendo-se destacado como terceiro melhor marcador da sua equipa. Melhorou o seu nível técnico, mas não conseguiu o objectivo principal que era levar o clube a conseguir a subida de divisão.

Terminada a época 2017-18, Ivo soube pelo seu agente do interesse dos Pirates Leichlingen na sua prestação. O plano era fazer um teste de uma semana, mas conseguiu impressionar o treinador do clube alemão logo no primeiro treino. Assim, deu o salto da Áustria para Alemanha, onde ainda esse internacional cabo-verdiano vai competir na próxima época.

Kim-Zé Brito

(Visited 1.832 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here