Juff rebate críticas sobre concurso rainha de bateria mirim: “Vamos fazer uma prova de ‘samba no pé’ e não de sensualidade infantil”

887

O Cruzeiros do Norte vai levar avante o concurso rainha de bateria mirim, apesar da avalanche de críticas que a iniciativa desse grupo carnavalesco despoletou nas redes sociais, devido ao uso de crianças. Abordado por Mindelinsite, Jailson Juff garante que a decisão está tomada e será mantida pelo que o evento irá decorrer no dia 27 de Maio, no polivalente de Cruz João d’Évora, com a participação de oito meninas dos 10 aos 15 anos de idade.

“Vamos levar o evento adiante porque não estamos a fazer mal nenhum a essas crianças e nunca foi essa a nossa intenção. Estamos a falar de um concurso de samba no pé e não de sensualidade feminina como várias pessoas propalaram pelo Facebook, depois de verem a fotografia que publicamos com as candidatas”, reage o presidente do Cruzeiros do Norte, que considera um exagero acusar-se o grupo carnavalesco de estar a promover a exploração sexual de menores. Como recorda esse dirigente, no Brasil esse género de concurso é natural e tem por princípio

A mesma opinião tem Nely Veríssimo, para quem seria uma enorme irresponsabilidade dos organizadores pensar em expor a imagem das crianças e atrair pedófilos, quando o objectivo é estimular as crianças a mostrar os seus talentos e prepara-las para o desfile do próximo ano. “O Cruzeiros tem uma ala de crianças e a vencedora do concurso será uma figura de destaque, mas trajada de forma adequada. Aliás, as roupas que vão usar no concurso não expõe o seu físico como algumas pessoas estarão a pensar”, comenta a porta-bandeira do Cruzeiros deste ano. Indo ao pormenor, Nely explica que as candidatas vão fazer passagens com um maiô de corpo inteiro e trajadas com uma t-shirt recortada e amarrada. Para o momento alto, que é o de samba no pé, irão vestir um maiô dourado, tipo boxeur, e com um foliado que tapa a parte traseira do quadril. Como explica, só a costa é que vai ficar nua.

Segundo Vany Brito, o concurso conta com oito crianças inscritas, com autorização dos pais, que foram escolhidas após um casting. As candidatas, acrescenta, já começaram os ensaios e estão entusiasmadas com a iniciativa. “Gostaria de frisar que elas não serão vestidas como uma rainha de bateria adulta porque a intenção não é mostrar a sensualidade no sentido pejorativo. Mas devemos estar cientes de que a sensualidade faz parte da dança”, comenta essa passista do Cruzeiros do Norte, que faz questão de lembrar que, conforme o regulamento, só as crianças com pelo menos dez anos de idade é que podem desfilar no Carnaval adulto, o que foi levado em conta pela organização.

Reunião com pais

A polémica instalada no Facebook por causa do concurso levou o ICCA a convocar o responsável do Cruzeiros do Norte para uma reunião de emergência. Jailson Juff foi ao encontro munido de vídeos e outras informações para mostrar que o grupo vai respeitar os direitos das crianças-candidatas. Além disso, a direcção do Cruzeiros do Norte agendou para amanhã uma reunião com os pais das oito meninas para saber o que pensam da situação. Hoje, entretanto, os dirigentes vão encontrar-se para falar da reorganização do grupo e afinar a sua posição sobre o evento.

Para dezenas de internautas, a competição vai levar as crianças a expor o seu corpo e sensualidade e por arrastamento atrair a atenção de pedófilos. Uma das pessoas que defendeu frontalmente essa posição é Polibel Rodrigues, que se mostrou logo contra o concurso. Espero que a Câmara Municipal de S. Vicente e quem mais de direito intervenham para meter algum bom senso nos organizadores do tal concurso de Rainha de Bateria Mirim e os demovam de levar adiante este atentado à inocência. É de todo desaconselhável por várias razões sendo que expõe demais as crianças e apela a uma sensualidade aliada à dança, que vai atiçar os pedófilos e tarados. Estou com o estômago às voltas depois de ver as fotos sensuais das meninas”, postou Polibel no seu perfil, ela que questiona o interesse de se promover o concurso e pergunta qual a idade mínima para se desfilar como rainha de bateria. Para ela, esse tipo de iniciativas, ao invés de promover o Carnaval, serve para atrair predadores. O “post” suscitou logo uma onda de comentários a apoiar o seu ponto de vista e a condenar a iniciativa e os pais que deram o consentimento à participação das filhas no certame.

Outra figura que se posicionou contra o concurso é o encenador de teatro João Branco. Essa função, como se sabe, implica um nível de nudez e sensualidade erótica que é absolutamente incompatível com a condição de criança. Pelo contrário, é um banquete para os predadores pedófilos que pululam pelas nossas ilhas”, justifica Branco, que considera inacreditável que haja instituições a apoiar esse tipo de práticas.

Kim-Zé Brito

(Visited 1.266 times, 1 visits today)

1 COMENTÁRIO

  1. SOU TOTALMENTE CONTRA ESSA LEVIANDADE DE rainha de bateria mirim. NÃO É SÓ DESSA EXPOSIÇÃO DO FISICO DESSAS CRIANÇAS MAS TAMBÉM FAZ CRIAR UM COMPETIÇÃO E CULTO PELO CORPO EM CRIANÇAS EM DESENVOLVIMENTO FÍSICO E INTELECTUAL, LEVANDO A ATRAIR PEDÓFILOS E A PROSTITUIÇÃO DE MUITAS MENINAS DESSA ILHA. DEIXEM DE LEVIANDADES, AS CRIANÇAS DEVEM COMPETIR EM DESPORTO SAUDÁVEL, GINASTICA RITMA, CANTO E ESSE TIPO DE ACTIVIDADES E NÃO NESSAS DANÇAS SENSUAIS E EXPOSIÇÃO DO CORPO. O ICCA E OS PAÍS DESSAS CRIANÇAS DEVEM SER RESPONSABILIZADAS ALÉM DESSE GRUPO CARNAVALESCO QUE DEVERIA TER UM PAPEL DE MAIOR RESPONSABILIDADE SOCIAL. SHAME ON YOU CRUZEIROS DO NORTE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here