Mandingas de Ribeira Bote aquecem os tambores para o Carnaval com desfile solidário

1349

Está aberta a temporada Carnaval 2020 com o primeiro desfile dos Mandingas da Ribeira Bote, que será apenas dentro da primeira “Zona Libertada” de São Vicente e de Cabo Verde, tem um cariz solidário. O cortejo prestou ainda uma homenagem ao jovem Hélder Alves, desaparecido no mar de João d’ Évora em outubro de 2019.

Era por volta das 14h30 da tarde deste domingo quando o “Estaleiro dos Mandingas da Ribeira Bote” abriu as suas portas. Pouco a pouco foram aparecendo os protagonistas desta festa para o ritual de preparação: mistura do carvão, pintura corporal, colocação dos adereços e ensaios dos primeiros passos de dança. Já a bateria afinava os tambores.

Paralelamente, chegavam os interessados em acompanhar o desfile trajados de preto, alguns com camisas 100% Mandinga mas também alguns estrangeiros. Todos com sacos com alimentos perecíveis, respondendo positivamente ao apelo da direção. Em pouco tempo, a um tambor e duas caixas estrategicamente colocados na porta do estaleiro encheram. Antes do inícui do desfile, estes foram retirados do local para serem entregues à família das três crianças que morreram num incêndio na madrugada do dia 01 de Janeiro numa casa de lata. 

“Este é o nosso primeiro desfile para aquecer o sangue para o Carnaval 2020. Vai ser apenas dentro da nossa zona, pelo que esperamos menos gente, em torno de 200 pessoas”, explicava Vady Lopes à imprensa, antes do arranque efectivo do desfile, que ficou marcado por um minuto de silêncio e uma paragem na porta da casa onde residida o jovem Hélder Lopes, desaparecido no mar durante um passeio-convívio com colegas. Mas a verdade é que foram muito mais os amantes dos mandingas, superando sem sombra de dúvidas mil pessoas no desfile.

Por volta das 16 horas, os mandingas da Ribeira Bote já ocupavam todos cantos da zona, que respirava e movimentava no compasso dos tambores e ao som das musicas contagiante e dos gritos de “Ariah”. Serão duas horas intensas de adrenalina e uma oportunidade para extravasar e soltar o grito preso na garganta desde o enterro do carnaval 2019.

De referir que hoje também desfilaram os mandinga de Fonte Filipe.

Constânça de Pina 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here