Michel Platini detido por suspeita de corrupção no Mundial de 2022 no Qatar

75
Michel Platini na sede do CAS em 2016 — Foto: REUTERS/Pierre Albouy

O ex-presidente da Uefa, Michel Platini foi preso na manhã desta terça-feira em Paris, por suspeitas de corrupção envolvendo a Copa de 2022. O ex-jogador francês, de 63 anos, era um dos investigados em operação que averigua possíveis irregularidades na escolha do Qatar como sede do próximo Mundial da Fifa. As informações, segundo a Globo Esporte, são do jornal francês “Le Monde”.

Por seu lado, o jornal Público cita o jornal online francês Mediapart, órgão que precisa que o antigo capitão da selecção francesa de futebol se encontra sob custódia da polícia no Departamento Central de Luta contra a Corrupção e as Infracções Financeiras e Fiscais da Polícia Judiciária francesa, em Nanterre, na área metropolitana de Paris. No entanto, o Público.pt revela que contactou a polícia francesa, que recusou confirmar ou desmentir a informação. Remeteu informações para o Ministério Público (Parquet National Financier), que ainda não respondeu ao pedido de informações.

Conforme a imprensa internacional, além de Platini, a operação também mantém sob custódia a ex-conselheira do ex-presidente Nicolas Sarkozy, Sophie Dion, por “suspeita de actos activos e passivos de suborno”. Claude Gueant, antigo secretário-geral do governo, também foi convocado a depor em condição de “suspeito livre” pelo Escritório Central de Luta contra a Corrupção e Infrações Financeiras e Fiscais (OCLCIFF), adianta a Globo Esporte.

A primeira investigação sobre corrupção e conspiração criminal na escolha do Catar como sede da Copa de 2022 foi aberta pela Promotoria Financeira Nacional (PNF) da França em 2016. Em dezembro de 2017 Platini foi ouvido como testemunha e admitiu que votou no Catar em dezembro de 2010, quando o país foi apontado como sede do Mundial.

Segundo o jornal “Le Monde”, o foco da PNF é um almoço organizado no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, em 23 de novembro de 2010. No evento estavam presentes Nicolas Sarkozy, Michel Platini, o Emir do Qatar, Tamim Ben Hamad Al Thani, e o então primeiro-ministro do emirado, Sheikh Hamad, Bem Jassem.

Platini neste momento cumpre suspensão de quatro anos do futebol após ser considerado culpado de receber pagamentos indevidos do ex-presidente da Fifa, Sebastian Blatter. Essa punição termina em outubro, como relembra o referido jornal electrónico brasileiro.

C/Globo Esporte e Público

(Visited 127 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here