Mindelense “chocado” com Ultramarina: “falta de cultura desportiva”

1937

O Mindelense ficou chocado com a atitude da equipa da Ultramarina, que aproveitou a ausência dos tetracampeões de Cabo Verde em S. Nicolau para marcar “cover” este Domingo e apurar-se dessa forma para a final do campeonato nacional. Em nota enviada ao Mindelinsite, Daniel Jesus acusa o clube de S. Nicolau de falta de cultura desportiva e de fazer um “jogo de suspense” até ao último instante, mas que, segundo o responsável do CSM, visou apenas tirar partido do imbróglio à volta da competição.

“A cultura desportiva não se cria de um dia para outro. Ela é fruto de uma vivência temporal. Quando esta novela começou, a outra parte, que sempre teve culpa no cartório, encontrou o suporte de pessoas com responsabilidades outras, que interferiram claramente no inquinar da verdade. Infelizmente, o Mindelense até agora teve apenas o suporte e o apoio expresso do cidadão anónimo comum”, comenta o presidente dos encarnados de S. Vicente, que não deixa de apontar a sua mira à direcção da FCF, mais precisamente ao presidente desse organismo.

Segundo Jesus, há uma clara intenção de se levar adiante o nacional de futebol “custe o que custar”, quando, nas palavras dele, todo o mundo percebe que faltam condições óbvias para tal. Na sua perspectiva, o que pretende o presidente da FCF é uma vã tentativa de arranjar uma tábua de salvação, “camuflando as coisas”, para continuar agarrado a um cargo “que deverá ser apetecível”. “De outro modo não se entende a falta de dignidade, de carácter e de personalidade”, acrescenta Daniel Jesus, que pede às associações regionais para não se deixarem “embarcar na súplica do náufrago” na assembleia extraordinária do próximo Sábado, que vai determinar a sorte de Víctor Osório e da sua equipa no comando da FCF.

Inconformado com o rumo dos acontecimentos, o presidente do CSM garante que o clube vai intentar um processo para impugnar o campeonato nacional, tanto assim que já entregou o caso a um advogado. Para ele, está claro como água que a FCF cometeu ilegalidades graves quando mandou realizar o jogo da segunda mão antes da primeira e tomou ainda a decisão de anular o resultado de uma partida (segunda mão em S. Vicente) sem que tenha competência para tal. “Vamos continuar a lutar porque somos um leão vencedor. Agora, que a tão propalada ‘verdade desportiva’ e o slogan do ‘jogo limpo’, que redundaram nesta cabala com nítido prejuízo para o Mindelense, sirva de alguma coisa, salvando-nos de uma hecatombe”, apela esse dirigente, que quer ver a FCF concretizar a ameaça de decretar a descida de divisão do Mindelense.

KzB

(Visited 2.130 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here