Ministro José Gonçalves faz mergulho na enseada coralina da Laginha: “Encontrei uma biodiversidade que não tava à espera”

1714

O ministro da Economia Marítima e o seu Secretário de Estado defenderam esta tarde a protecção da riqueza marinha da enseada da Laginha depois de efectuarem um mergulho guiado por um grupo de biólogos marinhos durante mais de trinta minutos. Tanto José Gonçalves quanto Paulo Veiga ficaram impressionados com a biodiversidade marinha existente nessa pequena área, tal como têm vindo a revelar ambientalistas mindelenses preocupados com o futuro dessa baía de corais.

“É a primeira vez que faço um mergulho nessa zona e deparei-me com uma riqueza que desconhecia. Costumo ficar mais na zona de areia com o devido conforto, mas confesso que encontrei uma diversidade que não estava à espera. E tudo isso aqui mesmo ao lado desta belíssima praia da Laginha”, enalteceu o ministro José Gonçalves assim que regressou à terra.

A mesma reacção teve Paulo Veiga, que também ficou satisfeito com o espectáculo que a natureza lhe proporcionou neste dia ensolarado e de água transparente. “É realmente um oásis este aqui ao lado, com muita vida e muitos corais”, realça o Secretário de Estado da Economia Marítima, que acompanhou o ministro nessa viagem à descoberta a convite de um grupo de biólogos que nos últimos dias tem estado a sensibilizar a sociedade e as autoridades sobre os impactos para os corais e peixes dessa zona devido a recente canalização das enxurradas para essa enseada. “Colocaram-nos a sua preocupação sobre a saída da água das chuvas, já que pode colocar em risco a biodiversidade desta zona, viemos constactar e iremos procurar soluções para que aqui continue a ser uma das atracções da Laginha”, afirma Veiga.

No mesmo sentido navega o ministro José Gonçalves, para quem seria uma pena destruir esse santuário, “assim como tudo o que é riqueza marinha”. Assim sendo garantiu em conversa com Mindelinsite que vai promover um diálogo com a Câmara de S. Vicente, a Enapor, o empreiteiro e outras entidades e procurar saídas para o problema. “Vamos ver como se pode conjugar elementos e discutir as consequências não previstas. Vimos alguns exemplos, que ficaram documentados”, salienta Gonçalves, para quem é preciso analisar os impactos do desvio da água pluvial para essa zona delimitada sobre os corais e as mais de 30 espécies de peixes que ali convivem. Uma riqueza que, ele próprio diz, pouca gente, incluindo a sua pessoa, tinha noção. Durante essa “investigação” ficou aliás a saber que turistas, alunos de biologia e técnicos estrangeiros que cooperam com a Uni-CV costumam estudar esse local por apresentar uma variedade interessante de animais marinhos e estar dentro da cidade.

Para o professor universitário Guilherme Mascarenhas é seguro que tanto o ministro como o secretário de Estado ficaram sensibilizados com o problema e cientes da importância ecológica e até económica da enseada. Deste modo acredita que irão usar a sua influência a favor da protecção desse espaço marítimo muito peculiar, mas que corre o risco de perder a sua riqueza por causa do desvio da lama das chuvas. Aliás, ele próprio publicou vídeos e fotos a mostrar os impactos nos corais da chuva caída no mês de Setembro e que, diz, atingiu apenas 22 milímetros. “É preciso resolver esse problema o quanto antes. Vamos continuar a nossa luta e se for preciso vamos a organismos internacionais como a Green Peace”, sublinha esse engenheiro electrotécnico, lembrando que uma campanha lançada pela Green Peace teria um efeito devastador na imagem internacional de Cabo Verde.

Kim-Zé Brito

Enseada da Laginha: Um oasia aqui ao lado

O ministro José Gonçalves e o S.E. Paulo Veiga aceitaram um convite de um grupo de biólogos marinhos para conhecer a realidade da enseada coralina da Laginha e ver com os próprios olhos a riqueza marinha dessa pequena baía. Bastaram trinta minutos de mergulho para ficarem impressionados com a riqueza dessa zona que alberga mais de trinta espécies de peixes, além de corais. Com essa iniciativa esse grupo ambientalista quis sensibilizar esses responsáveis pela pasta da Economia Marítima pela sua causa, que é proteger esse berçário natural. É que, conforme os biólogos, com a canalização das águas pluviais para essa zona, toda a vida marinha ficou em risco de colapso. Tanto Gonçalves quanto Veiga ficaram impressionados com o que viram e prometeram agir no sentido de se garantir a preservação desse oasis plantado aqui mesmo ao lado. Confira neste vídeo.

Publicado por Mindel Insite em Sábado, 6 de Outubro de 2018

(Visited 2.610 times, 1 visits today)

3 COMENTÁRIOS

  1. Seria bom termos tb a visitar a enseada, a DGA, as autoridades municipais e a Enapor.
    Aproveito a oportunidade para solicitar a adesão de toda a gente à nossa campanha no facebook partilhando todos os nossos posts (Em Laginha gui) a favor da “Enseada d’coral” na Laginha. Vamos criar um “TSUNAMI” de partilhas pois juntos salvaremos a enseada.

    Agradecimentos antecipados em nome da “Enseada d’coral” na Laginha.

  2. A “Enseada d’ coral” está muito agradecida pelo apoio à sua preservação que muitas pessoas têm dado e solicitou-nos que oferecessemos visita guiada gratuita a todas as pessoas que ajudarem-nos a criar um “Tsunami” de partilhas na internet. Assim quem partilhar mais do que 10 posts sobre a “Enseada d’coral” na conta do facebook “Laginha gui” fica habilitado a participar. A primeira sessão será no próximo fim de semana em dia e hora a indicar. O equipamento será disponibilizado por nós.

  3. Foi mesmo interessante e parabenizo a atitude dos dois governantes. Se todos tivessem a Coragem de ir “In Loco” verificar as multiplas Reclamações, Reivindicações e emissões de Alertas que acontecem nesta terra, muitas Coisas seriam Resolvidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here