“Mor” concorre ao Melhor Longa do Cabo Verde Internacional Film Festival

338

“Mor”, uma produção nacional da Osga Filmes assinada por Neu Lopes e com guião de Suzilene Andrade, vai disputar com “Poesia&Melodia” de Flávio Colombini do Brasil, o troféu de Melhor Longa-metragem na 8ª edição do Cabo Verde Internacional Film Festival (CVIFF), que acontece na ilha do Sal, de 10 a 14 de Outubro. Esta história onde entra o amor, com duração de 53 minutos, é um dos 25 filmes inscritos para este certame, que todos os anos transforma a cidade turística de Santa Maria na capital do cinema.

Esta é a primeira vez que a produtora Osga Filmes – iniciativa de Neu Lopes, Didier Tedesco e Hélder Dóca – está a ser seleccionada para disputar um prémio de cinema. O produtor Neu Lopes não tem dúvidas de que isto significa um reconhecimento do trabalho e uma maior projecção para o filme “Mor”. “Eu, enquanto produtor, fui seleccionado, em 2011 ainda na qualidade de aluno, com o filme ´Tu és Português`. Mas para a Osga Filme esta é a sua primeira nomeação. É óptimo”, diz o produtor, que aproveita para informar que o filme está ainda a concorrer para o Cine Plateau (Praia) e para o FICCA – Festival Internacional de Cinema do Caeté no Brasil.

“Mor” tem um elenco 100% cabo-verdiano e é rodado em São Vicente e Santo Antão. A sua presença neste festival cumpre um dos objectivos traçados pela Osga Filmes, que anunciava, por altura da estreia, a intenção de levar este filmes para eventos nas outras ilhas e também no exterior. Para além de “Mor”, foram selecionados mais 14 filmes, que vão disputar os prémios de Melhor Longa-metragem, Melhor Longa-metragem Documentário, Curta-metragem e o Prémio Parda que é, normalmente, atribuído ao melhor filme seleccionados para este festival, independente da categoria.

Já no que se refere à categoria de longa-metragem documentário os seleccionados são todos estrangeiros: “Beyond the Curve of the Road” de Guilherme Azevedo (Brasil), “Touched by the Ocean de Laura Rožkalne-Ozola, Sandijs Semjonovs, Kārlis Bardelis e Gints Barkovskis (Letónia), “Beyond Fordlandia” de Marcos Colón (USA), “Rest Stop” de Isabelle Ingold (France) e “Calabria” de Pierre-François Sauter (Suiça).

Na categoria de curtas-metragem competem “Bridge” de Kelly Stamborg (Holanda) com 04:21mn e “Vera Fouettés” de Inna Shcherban (Rússia) que chega aos 24:58mn. Concorrem ainda “The Donkey” assinado por Ângela M. Gordon (USA), “Escolhas” de Ivann Willig (Brasil), “M-001” de Franck A. Onouviet (France), “Mohamed, The First Name” de Zairi Malika (França), “North & Nowhere” de Scott Ballard (USA) e “Afterlife” realizado por Ryan Neil Butler (Austrália).Como novidade para esta edição, a organização abriu possibilidade a estudantes de submeterem os seus trabalhos.

Constânça de Pina

(Visited 429 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here