MSJ: Alegria e sensibilidade no Alta Lua Biús Connection

339
Foto: Zé Pereira (Mindel Summer Jazz)

O espectáculo da banda que acompanhou Biús ao longo da sua carreira e que marcou a abertura do Mindel Ímpar Summer Jazz, intitulado Alta Lua Biús Connection, destaca-se pelo cuidado na escolha das música e sensibilidade na sua preparação. Os temas escolhidos eram todos conhecidos do público, que apareceu em bom número, para enaltecer este evento que se propôs a cantar Biús e a cantar a cidade do Mindelo, sua terra de eleição.

No palco estiveram Jimmy (baixo), Djudjim (bateria), Djassa (cavaquim), Yanick (saxofone), Bau (guitarra), Txenta (piano), Edson Oliveira e Mariô Coronel (voz), todos colegas de jornadas de Biús neste tributo que, segundo Txenta, foi inexplicável. “Biús transmitia alegria. Também nos transmitia muitos conhecimentos. Estivemos numa escola com o Biús. No meu caso, trabalhei com ele durante dez anos e aprendi muito. Também viajamos muito juntos. Somos a malta que estava sempre com ele. Viemos aqui cantar as suas músicas com muito gosto na abertura deste festival”, explicou este artista.

Durante pouco mais de uma hora, ouviu-se os temas que imortalizaram este artista: África, Joya, Quel Calor, Romance desejod, Coração Blues, Nha segredo, Cé lá Vida, Festa de Txuva, Nhas gente, de entre outros, para alegria dos presentes. Para Alexandre “Xazé” Novais, do MSJ, conseguiu-se aquilo que se queria, que era reviver a alegria de Biús. “Quisemos cantar Biús e a cidade do Mindelo, com os artistas que o acompanharam. As vezes fazemos algumas homenagens que são tributos simbólicos, mas Biús era nosso, então decidimos fazer algo mais sensível. E conseguimos”, afirmou.

Antes do show, o Centro Cultural do Mindelo recebeu uma master class do professor Ron Savage. Voou Monteiro, do MSJ, era um homem feliz com o sucesso desta iniciativa. “Desde o início sempre tivemos a vertente formativa em atenção. Estávamos a procura deste momento, mas é uma caminhada. Estamos a ser reconhecidos e agora tivemos esta parceria com o Governo, que nos permitiu trazer este grupo. Vamos aproveitar ao máximo.”

Este nosso entrevistado não tem dúvidas que iniciativas do género são bons para os jovens, para São Vicente e para Cabo Verde. “Tivemos no período de manhã, na Escola Municipal de Música, uma clinic, direcionado para bateristas de todas as idades, jovens e pessoas já consagradas. Agora tivemos uma master class aberta para todos os músicos no CCM. Tivemos aqui mais de 50 pessoas. Não estávamos à espera, mas é algo que começa a acontecer ligado ao nosso evento e acredito que na quinta-feira teremos mais gente”.

Para além dos artistas mindelenses, muitas pessoas que passavam pelo CCM resolveram entrar para assistir e saíram a ganhar. Para além do professor Ron Savage que tem uma qualidade fora de comum, os presentes foram brindados com uma actuação magistral da jovem Farayi Malek, acompanhada de Consuelo no piano e Jacki Santos no baixo.

Hoje, o master class contará, de entre outros, com a presença do Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva que, segundo Voou, foi importante para a vinda da banda do Barklee College.  Já relativamente ao espectáculo de logo mais à noite, Xazé garante que está tudo a postos e os artistas estão todos no Mindelo. “Este ano optamos por uma chegada mais alargada para evitar constrangimentos de última da hora. Mesmo os nacionais estão todos aqui”.

Recorda-se que os espectáculos vão acontecer a partir da 20 horas, com actuações de Vamar Matins Project, Etiene Mbappé & Band e Maceo Parker & Band. Para o dia 2, sexta-feira, o palco é de Lizandra Gomes & Pret e Bronk, Ron Savage Trio e Farayi Malek e, por último, Jimmy DluDlu.  Os bilhetes já estão a venda. Ao todo, o Jazz Village disponibiliza mil lugares.

Foto: MSJ

Constânça de Pina

(Visited 595 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here