Nacional de basquetebol: Académica disputa título nacional contra ex-treinador Kula

207

A Académica do Mindelo defronta esta noite a formação do Bairro na final do campeonato nacional de basquetebol masculino, que decorre na ilha da Boa Vista. Este jogo, que coloca em campo as duas melhores equipas da prova, tem um sabor especial, já que representa um confronto directo entre o treinador mindelense Kula Ramos e o seu pupilo Tó Santos, que assumiu esta época o comando técnico da Micá do Mindelo, após a ida do seu antigo “coach” e formador para a cidade da Praia. Agora, os dois vão-se enfrentar no jogo mais importante da competição e que era previsível desde que as duas equipas ganharam os regionais de S. Vicente e Santiago Sul.

Porém, esse era um momento “temido” por Kula, por razões mais emocionais do que desportivas. “Confesso que tem sido difícil para mim digerir essa situação porque tenho uma enorme ligação com esses jogadores, que fazem parte de um projecto que iniciei em S. Vicente há coisa de 22 anos”, realça Kula, que não conseguiu esconder a emoção na sua voz ao falar do assunto. Por outro lado, o actual técnico do Bairro mostra-se satisfeito com a capacidade revelada pela Micá no campeonato nacional. Muito em particular com a forma como Tó Santos tem sabido orientar a equipa. “Reparei que ele manteve o estilo da equipa, que sempre jogou em cima de um certo rigor táctico. Vi como ele soube abordar o jogo com a equipa do Sal. Tomou decisões que tornaram as coisas fáceis e ganharam sem dificuldades”, elucida Kula, que perspectiva um jogo equilibrado hoje à noite.

Esta é também a visão do técnico Tó Santos, que está a trabalhar mentalmente os seus jogadores para o confronto decisivo. A ideia é levar os atletas a se livrarem de algum peso psicológico do confronto com o ex-formador do clube. “Estamos preparados e confiantes. Será uma partida equilibrada por isso a concentração é fundamental. Temos de jogar com garra na defesa, porque o ataque parte da defesa”, comenta Tó, que pretende surpreender o Bairro com a sua estratégia de jogo. Está ciente de que a equipa adversária tem algumas pedras perigosas, mas conta com a eficácia dos seus lançadores.

O jogo promete criar tensão no campo e no banco, mas, para Kula Ramos, o importante é que vença a melhor equipa. Por isso promete fazer o seu trabalho que é orientar os seus jogadores. Ele que está ciente de que muita gente acabou por estranhar a sua ida para a cidade da Praia e ainda mais por estar a treinar um clube da Capital. É que no último campeonato que disputou na cidade da Praia enquanto treinador da Académica fez uma declaração para lá de polémica. Chateado com “esquemas” que, diz, tiraram títulos à Micá, afirmou que nunca mais iria levar uma equipa sua para jogar na Capital. E acontece que logo no ano seguinte apareceu a treinar exactamente um dos clubes que defrontou algumas vezes na final do campeonato de Cabo Verde.

“Fiz essa declaração e pretendia levá-la à prática devido ao que estava a acontecer. Tiraram-nos vários vezes o título das mãos, mas não por mérito dos nossos adversários. Para mim, o nosso grande handicap está na organização do basquetebol, que descurou a arbitragem”, critica Kula, que aproveitou a conversa com Mindelinsite para pedir desculpas ao pessoal de S. Vicente. É que, diz, muita gente pensou que ele foi para Praia para abandonar a Académica e ir treinar outra equipa, o que, diz, não corresponde à verdade. “Vim por questões familiares e porque a família é a coisa mais importante na minha vida. Tive que acompanhar a formação académica da minha filha. Ela quis fazer um curso em S. Vicente, mas depois soube que essa formação só havia na Praia, e viemos”, explica o treinador, que conseguiu trocar de lugar com outro professor do ensino secundário que queria regressar à cidade do Mindelo. Como explica, só depois de cinco meses na cidade da Praia é que recebeu convite para treinar o Bairro. E aceitou o desafio um mês depois porque não era esse o seu plano.

Para chegarem à final, a Académica derrotou na semifinal a equipa salense de Salgadim por 64-40, enquanto o Bairro venceu a formação de Nhagar de Santiago Norte por 78-42. Refira-se que o jogo para a disputa do terceiro lugar foi cancelado.

Kim-Zé Brito

(Visited 320 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here