Plantar uma árvore é o novo desafio das redes sociais em Cabo Verde e decorre até o dia 21

A Associação Mulher Cabo-verdiana e as Mudanças Climáticas engajou-se no desafio proposto por “Safe the Planet” e quer levar os cidadãos do país a plantar uma arvore ou a criar uma horta até 21 de Setembro, dia da árvore. Este novo challenge das redes sociais tem como propósito ser uma “bolha”, ou uma corrente positiva para a natureza e que cada um, ao cumprir o desafio aceito, proponha o mesmo a outros amigos.

Durante esta semana, a organização pretende sensibilizar os cabo-verdianos dos benefícios da biodiversidade, bem como da importância ecológica das árvores nas cidades e no combate à seca. Ao mesmo tempo combater a desertificação e promover a conservação dos solos. 

“Queremos socializar as vantagens e os benefí­cios de plantação, nomeadamente que as árvores absorvem a poluição, protegem as bacias hidrográficas, reduzem a erosão do solo, produzem oxigénio, fonte de vida, que atenuam as alterações climáticas e que ajudam a arrefecer as cidades, que proporcionam um habitat para a fauna e flora selvagens e que são um um legado para as gerações futuras.”

Desta forma, a intenção é engajar toda a comunidade cabo-verdiana, desde crianças aos adultos, nesta campanha. “Até o final deste mês a associação tem em vista a mobilização das câmaras municipais, Forças Armadas, o ministério da Agricultura e Ambiente e toda a sociedade civil cabo-verdiana a engajar-se na plantação de árvores e na educação ambiental através de palestras nas escolas e comunidades, para que a própria comunidade e escola cuidem das árvores e dos espaços verdes das cidades, com a plena consciência dos seus benefícios”, assegura Erica Miranda, uma das integrantes deste grupo.

As redes sociais têm sido um meio que estas organizações utilizam para alcançarem maior público e incidirem na mudança de comportamento e de mentalidade, em prol do planeta.

Ainda no terreno têm em agenda para amanhã uma conversa aberta sobre o tema “As mudanças climáticas e a segurança alimentar em Cabo Verde”, no Palácio do Povo, na Praia. E em São Vicente, no dia 24, propõe abordar “A sociedade de consumo e o seu impacto ambiental”, que deverá acontecer em Madeiralzinho, na Plataforma das ONS’s, pelas 17 horas.

A Associação Mulher Cabo-verdiana e as Mudanças Climáticas foi criada este ano por 8 mulheres de diversas áreas, de acordo com  Miranda.  Consiste  numa plataforma de partilha ou divulgação de conteúdos e projetos ligados à conservação do ambiente e igualdade de género. Tem ainda como propósito engajar os jovens cabo-verdianos na luta pela justiça social no contexto da adaptação e mitigação das alterações climáticas.

Sidneia Newton (Estagiária)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here