PR enaltece compromisso de São Vicente de fazer do Palácio do Povo um espaço de promoção da arte

174

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, considerou ontem em Mindelo que a abertura da exposição Akuaba no Palácio do Povo é sinal de que o município e as pessoas de São Vicente assumiram o compromisso de fazer do histórico edifício um espaço de promoção permanente da arte e da cultura. Para Fonseca esta exposição que apelidou de “um hino à criatividade” reforça e reafirma o pacto entre a Presidência, o município e os cidadãos de São Vicente.

A exposição Akuaba, de Carlos Morbey Duarte Silva, marca a abertura das portas do Palácio do Povo, depois do início do projecto de restauração do edifício que foi doado ao município pelo PR. A mostra é um mergulho às memórias, às expressões artísticas da cultura cabo-verdiana, mas também faz uma viagem pela história e pelas artes do continente africano. São obras de diferentes lugares e tempos que dialogam entre si de forma surpreendente e que convidam o visitante a construir a sua própria interpretação.

Segundo o PR a exposição “Akuaba” é uma mostra importante de peças de diferentes proveniências, de diversas regiões do continente africano. São,segundo diz, objectos de “uso corrente nas suas culturas de origem, que moldaram rituais de iniciação ou de passagem, de nascimento ou de morte, da mais ancestral cosmogonia ou mito da criação, mas que há muito deixaram essa sua função social e conquistaram a admiração de especialistas e público amante da arte.”

O Chefe da Nação Cabo-verdiana considera que a “Akuaba” traz também à liça a questão da importância dos museus no panorama da formação cultural, no nosso país. Isto porque para além de contribuir para a preservação de peças, os museus são espaços onde se podem recuperar os laços com o passado. “Falamos de espaços que promovem a tolerância, a compreensão, bem como a salvaguarda do património e da memória colectiva, e que devem fazer parte integrante das nossas vidas, enquanto comunidade. Espaços de encontro e reflexão indispensáveis ao diálogo com o nosso próprio sentido de existência, e de afirmação no mundo, pois que a riqueza das nações também se mede pela riqueza cultural. E é em espaços como este, que ganhamos a luta contra o tempo e o esquecimento, que recuperamos os nossos laços tangíveis com o passado, sem o qual, como sabemos, não existimos”, atestou Jorge Carlos Fonseca para quem esta exposição justifica a sua atitude de entregar o Palácio do Povo ao município.

Confesso que, para além do prazer de usufruir deste momento especial, invade-me um particular sentimento de comunhão com o Povo desta ilha pois, pelas mãos da Câmara da Municipal, vivencio hoje a resposta ao do gesto que, há algum tempo tive, de colocar o Palácio do Povo à disposição de S. Vicente.”

Augusto Neves, presidente da Câmara Municipal de São Vicente, destaca que a “Akuaba” por reúne “peças lindíssimas do continente africano e obras de grandes artistas nacionais”. Para o edil mindelense o facto de Jorge Carlos Fonseca presidir a abertura da exposição mostra a importância dessa exposição que evidencia a nossa raiz e também é uma forma de valorizar o Palácio do Povo. “É um sonho, e eu me sinto feliz porque vários presidentes de Câmara que passaram por São Vicente gostariam de ter essa possibilidade de pegar o palácio, iniciar a sua restauração e colocá-lo à disposição dos sãovicentinos, dos cabo-verdianos e das pessoas que vistam a ilha e dos turistas”, realçou Neves, prometendo dar continuidade ao restauro para fazer deste edifício a porta de entrada da ilha de São Vicente.Já o coleccionador Carlos Morbey Durate Silva, que se diz “um homem de poucas palavras mas de muitas acções”, mostrou-se orgulhoso por levar a exposição ao Palácio do Povo, uma casa que segundo diz é de todos nós.

Carina David

(Visited 181 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here