São Vicente: 2ª Empreamar para melhorar a vida nas comunidades costeiras

155

O auditório da Faculdade da Educação e do Desporto – Mindelo recebe na tarde desta sexta-feira, 05, a segunda edição do Empreamar, um programa de empreendedorismo para o sector marítimo em Cabo Verde. A iniciativa, diz a vice-presidente da Escola de Negócios e Governação, Abigail Ferreira, visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas que dependem da economia marítima, sobretudo nas comunidades costeiras.

“O que pretendemos é implementar soluções inovadoras nestas comunidades por forma a garantir um desenvolvimento sustentável”, explica a entrevistada do Mindelinsite, realçando que a primeira fase deste programa foi financiada pela cooperação espanhola e pela Junta da Freguesia, apoiada tecnicamente pela Universidade de Vigo e Campus do Mar. “Os beneficiários directos são principalmente jovens e mulheres nesta área de aproveitamento dos recursos marinhos, com uma prioridade directa para os estudantes da Universidade de Cabo Verde. Também facilitamos o acesso à todos os empreendedores que reúnam alguns requisitos de qualidade que estarão no regulamento do concurso”, assegura Abigail Ferreira.

São ainda beneficiários deste programa, que destaca-se pela inovação, os técnicos da Proempresa, do Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas (INDP) e os investigadores da Universidade de Cabo Verde. Neste sentido, a apresentação desta segunda edição do Empreamar CV, aprazada para as 2h20, contará com intervenção da representante da Proempresa, Carina Pires, da presidente do INDP, Osvaldina Silva, e do vice-reitor da UniCV para Integração Tecnológica e Inovação, António Varela.

A apresentação temática estará a cargo de Maria Estrela (UniCV) e de Elísia Cruz (INDP), que vão falar os ganhos da primeira fase e da segunda fase do programa. “Vão dar a conhecer os critérios de candidatura e falar desta segunda fase. Depois teremos duas breves intervenções no que diz respeito a possibilidades do empreendedorismo, uma sobre a aquacultura, enquanto solução do futuro para a segurança alimentar e saúde pública e outra especificamente sobre o sector marítimo e energias renováveis,” acrescenta.

A primeira edição do Empreamar decorreu entre 2017 -2018, tendo sido concluído a pouco tempo, com a publicação dos cinco projectos selecionados para incubação. É pretensão deste programa abranger as três fases: incubação, execução e saída para o mercado.

Constânça de Pina

(Visited 293 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here