“Seedstars Praia”: Organização estende prazo de candidaturas e prevê 50 projectos tecnológicos de Santiago e S. Vicente

141

A organização do Seedstars Praia estendeu até ao dia 20 de setembro o prazo para a entrega das candidaturas a esse concurso nacional e que irá permitir a escolha de um projecto de base tecnológica para concorrer a um financiamento de até 500 mil dólares. Até ontem, data inicialmente indicada para o término das inscrições dos startups, deram entrada cerca de 30 processos, mas a organização decidiu atribuir mais três dias devido a dificuldades apresentadas por algumas pessoas em preencher o formulário online e que está na língua inglesa. Segundo Samir Pereira, director-executivo do Cheetah Start, entidade organizadora, esse novo prazo é definitivo e pode provocar o aumento das candidaturas para cerca de cinquenta. Este número, na sua opinião, é bastante satisfatório já que, acrescenta, Cabo Verde ainda não tem o hábito de receber startups que abrem a possibilidade dos projectos concorrentes atingirem visibilidade internacional, como é o caso, e, melhor ainda, beneficiar de um financiamento tão volumoso.

Na verdade, o Seedstars Praia é uma iniciativa apoiada pela operadora UnitelT+ e outras entidades, que se enquadra no Seedstars World Competition, considerada a maior competição mundial de startups para mercados emergentes, que envolve mais de 70 países, sendo esta a primeira vez que acontece em Cabo Verde. “Elencamos três grandes impactos com este evento: o primeiro é a possibilidade que os concorrentes terão de estabelecer uma rede de contactos com os outros participantes, poderem conhecer pessoas com acesso a ferramentas e capacidade de investimento; segundo, a visibilidade nacional que os projectos finalistas vão ganhar, sem se falar da promoção internacional do projecto representante de Cabo Verde; terceiro, o financiamento assegurado ao projecto vencedor do concurso global, que será de 500 mil dólares”, frisa Samir Pereira. Este gestor esclarece que o projecto representante de Cabo Verde irá competir num evento regional na África do Sul e depois no Summit Global na Suíça. Se sair vencedor desta última etapa é que ganha o direito aos 500 mil dólares de financiamento.

“Os mentores do projecto vencedor de Cabo Verde vão poder participar em formações na África do Sul e serem orientados para melhorarem a sua apresentação final na Suíça”, acrescenta Pereira, que enaltece ainda o facto de os restantes projectos finalistas poderem ainda beneficiar de 250 mil dólares de financiamento se estiverem enquadrados em seis categorias. Para isso terão de ter uma forte componente tecnológica, promover a energia renovável, estar ligado às áreas da saúde, educação, sector bancário e o empreendedorismo feminino e possibilitarem o o uso da inteligência artificial.

A maior parte das candidaturas que já deu entrada é da ilha de Santiago e algumas pertencem a concorrentes de S. Vicente. Logo no dia 20, data do encerramento das inscrições, a organização irá escolher os 20 startups mais interessantes. Estes irão participar no dia 24 num grande encontro onde os respectivos autores irão preparar a apresentação dos projectos para o evento final, agendado para o dia 26 de Setembro, na cidade da Praia. Desse grupo sairão dez finalistas, cujas ideias serão avaliadas no dia 26 por um júri compostos por três pessoas com competências nas áreas das finanças, negócio, tecnologia e implementação de empreendimentos à larga escala. Este momento será antecedido de um discurso da directora regional da Seedstars, do presidente da UnitelT+ e por um representante do Governo, por confirmar.

Segundo Samir Pereira, a operadora UnitelT + surge como a principal parceira desse evento. O apoio da empresa, diz, possibilitou a vinda da directora regional da Seedstars e a participação do projecto vencedor nacional no summit regional na África do Sul, em Dezembro, e no summit global, na Suíça, em Abril de 2020.

(Visited 238 times, 1 visits today)

5 COMENTÁRIOS

  1. Caboverdeano um povo a todos os níveis que merecia um prémio de ser o pais de faz-de-conta. Enquanto povo o caboverdeano é imaturo. Como se vê isso ? Um Primeiro-Ministro a inaugurar Casa de Benfica na Praia. [Um primeiro-ministro que inaugura casas de Benfica evidentemente não tem muito que fazer. Primeiro-Ministro de Portugal é um cidadão conhecido como sendo desse clube alguma vez foi visto em tal actividade ? ] O Caboverdeano é um povo imaturo, incapaz de produzir qualquer idéia válida. COmo se vê isso ? Tudo o que existe em Cabo Verde é cópia de Portugal. Tudo o que é Lei, Instituição, Empresas públicas, tudo. Quando eles pretendem fazer alguma reforma, algo “inovador” a primeira coisa que os lideres desse processo “invoador” faz é dar um salto a Portugal e copiar o que se faz ai. Caboverdeano povo leviano. Povo que de destaca em discussão de assuntos fúteis. Como se vê isso ? Cabo Verde menos de MEIO milhão de habitantes e Cabo Verde é o segundo maior importador de cerveja Super Bock de Portugal, qusae ao mesmo nível que Angola pais que tem 14 milhões de habitantes. Caboverdeano um povo cujo assunto mais sério que discutem é “Quem é o melhor jogador do mundo”. Um povo que não sabe nada da sua História. Um povo que tacitamente apoiou o colonialismo porquanto os caboverdeanos ocuparam a Administração Colonial em várias ex-colonias de Portugal. Um povo cujo governo apoiou tacitamente o Apartheid pois nos anos 80 no auge de Apartheid quando a Africa inteira se uniu para impor um boicote a Africa do Sul único aeroporto que aceitava avioes da SAA era de Cabo Verde. O Caboverdeano tem a mania de música. A música que se faz é infantil, composições elementares sem nenhuma criatividade na maior parte dos casos. A morna que tentam inscrever na UNESCO só é ouvida em momentos para anunciar que estão a concorrente a patrimonio da UNESCO. Não é por acaso que Cesária Evora unica caboverdeano que teve algum destaque na musica nunca deu um Concerto em Cabo Verde. Estranho não e ? Ela deu concertos em todo o mundo excepto pais onde nasceu. O Caboverdeano até pensa que é dos povos mais inteligentes do mundo. Mas se são assim tão inteligentes qual a razão de serem um dos paises mais atrasados do mundo a todos os niveis ? Acham que a nível das TI são um colosso. E porquê ? Têm um Datacenter. E há muita gente a usar Smartphones. Um pais que importa 100% do que consome de Portugal (até papel higiénico os caboverdeanos importam do estrangeiro). Um pais que imprime passaporte em Portugal, Imprime Cartão Cidadão caboverdeano em Portugal, imprime as notas da sua moeda em Portugal. Cabo Verde é realmente um país ? No entanto vão para o Seedstars. Há alguns dias fizeram um startup weekend e quem ganhou foi uma idéia que consiste em ter uma aplicação no telemovel para tirar senhas na Casa do Cidadão. A isso é dado o nome de uma idéia altamente invodora. Tirar senhas na Casa de Cidadão via telmovel 500 mil dolares para implementar. Força com o Seedstarts.

    • Os cabo-verdianos podem não ser os mais inteligentes do mundo, nem temos essa pretensão, mas de uma coisa estamos cientes a nível africanos aplicamos capote à maioria dos países do mundo, não obstante as fraquezas naturais do país, casos de insularidade, escassa riquezas naturais, ausência de chuva que nos priva do mais elementar para a sobrevivência, mas de uma coisa não nos podem acusar, de pouca inteligência, pois quem administra os parcos recursos com tanta mestria não pode ter essa marca, isso apesar de não concordar muitas vezes com as decisões politicas dos governantes, mas em democracia existem as eleições para alterar os ditos responsáveis.
      Existe um ditado que diz, erra muito, quem muito faz, quem faz pouco erra pouco, mas quem não faz nada, não erra.
      O cerne da questão é que nós temos que aprender com os nosso erros, e errar muito é sinónimo de fazer muito.
      Bem haja cabo verde e os cabo-verdianos

  2. Esta tua teoria, é a teoria do saturado, do dejá-vu, do empacotado, do positivista de imitacao.
    Comparar com os piores para realçar que somos melhores nalguma coisa??? Que tristeza!!
    Com gente cono tu, é que o pais nao dá um passo em frente.
    Somos um país de malandros (malandro é malandro – mané é mané) e complexados/oportunistas.

    • Vivo no estrangeiro à quase 40 anos e não tenho nenhuma conotação politica portanto não enquadro em nenhum dos adjectivos assinalados, não me posso queixar da vida e da condição de ser cabo-verdiano e que muito me orgulho.
      Se já reparou nunca entrei no discurso de ofensa pessoal porque não o conheço, o meu objectivo é simplesmente defender cabo verde e os cabo-verdeanos.

  3. Entenda que não pretendi ofendê-lo de modo algum.
    Não pretendi, nem o fiz.
    Simplesmente, pessoalmente neste nosso país que eu também amo tanto, já estou cansado (saturado mesmo) porque sinto que não tem estado a ser bom para Cabo-verde, esse discurso de “paninhos quentes” sobre os nossos graves erros que vimos comentendo dia após dia desde a independência.
    Temos coisas boas obviamente, mas também exageramos continuamente tanto nos erros básicos como também em encobri-los, que até já os aculturamos e normalizamos nas nossas vidas, tudo como consequência da demagogia dos partidos políticos e por oportunismo das diferentes estruturas desta terra, que já fizeram escola no nosso país.
    Precisamos antes que seja tarde (se já não o é), bater com a pedra no charco e dizer claramente: NÃO, ESTÀ MAL!!! É PRECISO E SÓ QUEREMOS MUDAR!!!
    Por exemplo, o senhor defendeu que “ERRAR MUITO, É SINÓNIMO DE FAZER MUITO”.
    Não deixa de ser verdade mas, eu prefiro defender que “SEMPRE QUE ERRAMOS, DEVEMOS, COM SERIEDADE E VONTADE, PROCURAR CORRIGIR ESSES ERROS”.
    Portamto, é o mesmo assunto mas, tratado de duas maneiras diferentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here