TACV fecha porta em S. Vicente e Santo Antão: Trabalhadores sem rumo nem direcção

4999

Quem procurar os balcões da TACV em S. Vicente e Santo Antão a partir do dia 1 de Março vai literalmente bater com o nariz na porta. Conforme Mindelinsite apurou, a administração da empresa comunicou aos trabalhadores que essas duas delegações da Direcção Regional Norte irão funcionar apenas até o dia 28 de Fevereiro, uma medida relacionada com o processo de reestruturação da transportadora aérea, visando a sua privatização. A informação, assegura o sindicalista Tomás de Aquino, chegou ao conhecimento dos funcionários através de um email “muito superficial”, que os deixou preocupados com o seu futuro laboral.

“O Sithur – Sindicato da Indústria, Transportes, Telecomunicações, Hotelaria e Turismo – já pediu esclarecimentos ao Conselho de Administração da TACV porque está em causa o futuro de pelo menos 17 trabalhadores. Queremos negociar e garantir os direitos desse grupo, mas o problema é que os responsáveis da empresa não têm mostrado abertura para sentarmos à mesa, a não ser sob pressão”, salienta Aquino, que se mostra apreensivo com as consequências dessa medida para as próprias agências de viagem e os clientes dessa zona do Barlavento. E, por aquilo que sabe, as agências de viagem estão ainda a leste dessa medida, quando falta seis dias para a sua aplicação. “Este é um assunto que deveria merecer inclusivamente uma reacção das autoridades representativas da ilha, como as próprias Câmaras das duas ilhas. No entanto, sinto uma enorme passividade no ar”, critica.

Ninguém ainda sabe ao certo como será efectuado o encerramento das delegações da TACV em S. Vicente e Santo Antão. Uma das dúvidas é se os trabalhadores continuarão a ir para o serviço mesmo com as portas encerradas ou se ficarão em casa a partir do dia 1 de Março. “Por aquilo que sei, ninguém obteve ainda resposta a essa questão tão simples, mas fundamental. Aliás, sequer ainda tiveram ordens para colocar um mero aviso na porta a informar os utentes dessa medida”, realça o citado sindicalista.

Todos os trabalhadores da empresa na região Norte estão apreensivos neste momento, conforme soube este diário digital. “Há colegas que têm vários anos de serviço, mas que estão novos demais para a reforma e velhos para o mercado de trabalho”, comenta uma fonte deste jornal, relembrando que alguns funcionários da companhia aérea foram transferidos para a ilha do Sal e que outros aderiram ao programa de reforma antecipada. Porém, vários estão na corda-bamba, sem conhecer o seu destino.

A TACV, como é sabido, está a ser preparada para a privatização, um processo conturbado e que irá implicar o despedimento de mais de 200 trabalhadores. Para o efeito, o Governo retirou a companhia dos voos domésticos e anunciou que tem uma verba de 13 milhões de euros destinada ao pagamento das indemnizações. Um programa de pré-reforma foi activado e estima-se que mais de metade dos funcionários da companhia aérea será abrangida.

Apesar das tentativas, foi impossivel falar com o Presidente do Conselho de Administração da TACV e com a Associação das Agências de Viagens e Turismo de Cabo Verde.

Kim-Zé Brito

(Visited 5.086 times, 1 visits today)

5 COMENTÁRIOS

  1. Nâo foi essa ha alegria prometida .Mas o povo caiu na jogada politica; Agora o povo paga por acreditar no que nâo devia acreditar.Mas é crime contra humanidade enganar o povo para ganhar ileiçôes.

  2. Eu não percebo: os Sinsdicados não estão a fazer mesmo nada. Não conseguem promover uma greve generalizada, em todo o Pais para porem cobro a esta situaçao catastrofica que CABO VERDE vive neste preciso momento, chamado atençao da Comunidade Internacional, para acompanhar essa prepoitencia governamental, que já o Povo não suporta.

  3. As vezes a questão é uma só onde vamos parar? com este governo que prometeu mundos e fundos emprego estabilidade aos jovens , tudo mentira chegaram ao puder e agora que se lixe o povo. Eles têm tudo o puder uma vida estável não precisam de nós do povo para nada porque o que queriam já têm.
    Lamentável esta falta de Humanidade que muito nos custa dizer mas os políticos são todos iguais sem carácter desonestos desumanos a única coisa que sabem é enganar os jovens e o povo de Cabo Verde. Agora bem feito para nós que caímos nas suas promessas todas as eleições.

  4. A unica coisa que querem abrir são as FRONTEIRAS para uma entrada e saida de quem quer que seja.
    Agora a porta que da acesso ao caboverdeano ganhar o seu PÃO para a sustentar a FAMILIA esta fechada.E a este ritimo Cabo verde vai fechar e o povo vai ficar Ó DEUS DARA.
    Era este o objetivo deste Governo.VINGANÇA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here