Ulisses Correia e Silva anuncia protocolo com Afreximbank: 85 milhões de euros para projectos em São Vicente

739

O Primeiro-ministro diz que poderá assinar já em Fevereiro um protocolo no valor de 85 milhões de euros com a Afreximbank para desenvolver projectos turísticos em São Vicente. Este acordo deve envolver também dois operadores privados, explicou Ulisses Correia e Silva, que presidiu a sessão solene do dia do município de São Vicente.

Espero que já neste mês de Fevereiro, por altura do Carnaval, possamos estar em condições de assinar com a Afrocimbank e com pelo menos dois operadores privados em São Vicente um acordo avaliado em mais de 85 milhões de euros para fazer com que a ilha despolete o seu turismo. São Vicente tem défice de oferta hoteleira e, para conseguirmos fazer com que este processo arranque, é preciso mais e bons investimentos. As portas estão abertas, temos disponibilidade financeira junto da Afreximbank em condições muito favoráveis”, anunciou o chefe do Governo, que garante que Cabo Verde tem linhas de créditos disponíveis junto desta instituição financeira internacional para financiar bons projectos de carácter privado. “Temos linhas disponíveis de mais de 500 milhões de dólares, que poderão chegar a um bilião. Cabo Verde já está a cumprir alguns requisitos em termos de aumento do capital social da sua participação na Afreximbank para podermos projectar os investimentos necessários.”

Segundo o PM, o Governo reconhece São Vicente como uma ilha importante em Cabo Verde do ponto de vista da sua história, sua identidade, potencialidades económicas e culturais e da sua legítima ambição ao desenvolvimento. Por isso o seu executivo já identificou áreas e sectores prioritários para intervir e uma delas é o turismo.

“Nós entendemos que São Vicente é e deve ser eleita como uma ilha turística, por natureza. Queremos que seja uma ilha turística, mas com um turismo diferente de o do Sal e Boa Vista. Estou a falar da diversidade que São Vicente oferece desde o turismo de sol e mar, nas condições das praias que existem cá, do turismo cultural, urbano ou de cidade, de aventuras e do turismo de complementaridade com Santo Antão. Queremos de facto que, ao declararmos São Vicente como uma ilha turística, ser consequentes em todas as relações de políticas públicas para podermos atingir esses objectivos”, sentenciou o PM, para quem a ideia de sediar o Ministério da Economia Marítima em São Vicente visa impulsionar o desenvolvimento, promover o crescimento económico e gerar emprego.

Outros sectores que Governo pretende apostar em São Vicente incluem a arte, cultura e indústrias criativas e exportadoras. Tudo isso através de investimento privado e de políticas públicas que, segundo Correia e Silva, vão criar um bom ambiente de negócios para transformar a ilha num local dinâmico e atractivo.

Carina David

(Visited 751 times, 1 visits today)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here