Câmara Municipal remove roulotes da cidade do Mindelo

5646

A Câmara Municipal de São Vicente está a remover todas as roulotes existentes na cidade do Mindelo e periferia. Os trabalhos começaram na zona do Campim e deverão durar dois dias. A edilidade alega que a maior parte desses pequenos estabelecimentos funciona em péssimas condições de higiene e que não estão a cumprir as regas do Código de Posturas Municipal. Os proprietários mostram-se insatisfeitos com esta medida.

Funcionária da primeira lanchonete “apreendida” pelas autoridades municipais, Lidiane “Lizy” da Luz foi apanhada de surpresa pela operação. Porém, já tinha sido advertida que deveria retirar a roulote da pracinha do Campim e que, caso não cumprisse a ordem, a edilidade tomaria essa previdência, mas que pagaria os custos do serviço. “Havia duas lanchonetes nesta praça, uma delas estava desactivada e foi aquela que a Câmara levou. Devem vir buscar a segunda. O problema é que as roulotes pertencem a um casal italiano, que não se encontra aqui neste momento. Devem regressar daqui a um mês e já fui informada que vão acabar com o negócio porque não podem arcar com as despesas com as novas exigências da Câmara de S. Vicente”, diz Lizy.

Por aquilo que foi informada, doravante os responsáveis têm de mover esses atrelados dos espaços ondem vendem, terminado o expediente. Só que ela não tem como rebocar as roulotes e nem dinheiro para custear essa despesa. Perante este quadro, Lizy não tem dúvidas: dentro de um mês vai engrossar a lista dos desempregados em S. Vicente.

Segundo o vereador José Carlos da Luz – que coordena as pastas de Fiscalização Municipal, Protecção Civil e Segurança e Educação – a medida não visa tirar o sustento das famílias. O que a CMSV quer, diz, é garantir que os proprietários dessas roulotes cumpram o que está na lei. “A Câmara Municipal fez um mapeamneto de todas as roulotes em São Vicente e vamos proceder à sua remoção para ver junto dos proprietários a questão da licença, do cumprimento das regas de higiene e do horário de funcionamento. Há muitos roulotes a funcionar em péssimas condições de higiene e não vamos permitir isso”, afirma o vereador José Carlos da Luz.

O autarca explica que, de acordo com o Código de Posturas Municipais, as roulotes não são lotes de terreno, logo não devem ficar fixas num determinado local, como normalmente acontece. O horário de funcionamento nos dias de semana é das 19 às 24 horas e nos finais de semana prolonga-se um pouco mais.

“Mas estas normas não estão a ser cumpridas. A CMSV quer fazer com que os proprietários cumpram as normas. Que estes espaços funcionem dentro da legalidade e com higiene porque são lugares onde as pessoas também buscam o seu sustento. Mas há que cumprir as regras. Vamos sensibilizar os proprietários para limparem esses espaços de venda de alimentos, tirar a devida documentação porque muitos funcionam ilegalmente”, salienta a nossa fonte.

Além dos roulotes, a CMSV vai remover as viaturas, carcaças e contentores abandonadas na via pública. As oficinas que estão nas zonas residenciais também já foram todas notificadas e, conforme apurou Mindel Insite, serão deslocalizadas para Ribeira d’Vinha e Ribeira d’Julião, ou seja, fora dos limites da cidade.

(Visited 5.790 times, 10 visits today)
  • Lizardo

    Aumento do desemprego em Mindelo já não basta a questão da poluição sonora que inventaram na cidade do Mindelo, onde muitos dos balaios bares e restaurantes já não têm uma estabilidade financeira positiva levando ao aumento do desemprego noturno, estagnado a economia noturna desta cidade. As empresas de eventos realizam eventos com grandes sacrifícios onde a Polícia é a gestora municipal. Realizar eventos em Mindelo está cada vez mais precoce, chegando a Santo Antão ou a qualquer outra ilha temos o apoio policial até às 5hr da matina realizar eventos sem stress.