Demora do ME mantém professor com depressão a leccionar em S.Vicente

343

A demora das autoridades em agir está a manter um professor com alegados sinais de depressão a leccionar em duas turmas de uma escola do ensino básico em S. Vicente. Este assunto foi levado ao conhecimento da delegação do ministério da Educação Família e Inclusão Social (MEFIS) e da Inspecção Escolar, que entretanto tiveram o cuidado de o relatar aos superiores na cidade da Praia. Porém, o tempo está a passar e ainda a tutela não se pronunciou sobre o caso. Na perspectiva de um professor abordado por Mindelinsite, a decisão do ministério da Educação pode ir no sentido do afastamento do professor das salas de aula pelo tempo necessário à sua total recuperação. O docente, que foi transferido da ilha de Santo Antão no início deste ano lectivo para substituir uma colega que alegadamente também sofria de depressão, ministra duas disciplinas, uma delas Matemática do 5º ano de escolaridade.

Ao Mindelinsite, um encarregado de educação explica que o docente apresenta um comportamento estranho, que começou no início do ano lectivo e tem vindo a deteriorar-se. Como diz, a inércia do MEFIS começa a preocupar os pais, tendo em conta que este ensina disciplinas nucleares, como a Matemática, e não está a seguir os manuais escolares.

Esta informação foi confirmada por este diário digital junto de alguns colegas desde docente, que preferem, no entanto, não se pronunciar publicamente, alegando que a situação é delicada. O gestor do Pólo Educativo também mostra-se cauteloso sobre este assunto. Mas deixa escapar que o professor foi abordado pela equipa multidisciplinar, mas não aceitou ajuda. “É uma situação difícil porque o docente entende que não precisa de ajuda. É um professor que está a substituir um colega, que também sofria de depressão.Acho que ele sofreu algum desequilíbrio, mas os alunos também não ajudam. Neste momento, o docente já está a receber apoio psicológico”, relata este responsável.

A delegação do ministério da Educação e a Inspecção da Educação estão ao corrente do caso. O gestor da escola garante que no próximo trimestre os alunos serão acompanhados por um outro docente.

Tentamos ouvir a delegada da Educação de São Vicente, Maria Helena Andrade, mas tal não foi possível porque esta não se encontrava nos escritórios.

Foto: veja.abril.com.br

(Visited 350 times, 2 visits today)