“Xolote”: Da “periferia” ao mais alto nível do futebol cabo-verdiano

1386

O avançado Amarildo “Xolote” Monteiro está na mira do Mindelense, campeão regional de futebol de São Vicente e vice-campeã de Cabo Verde. Esta é mais uma etapa na carreira jogador da Académica do Porto Novo, que se estreou recentemente nos convocados da Seleção Nacional que defrontou Argélia e Andorra. Os sete golos apontados na primeira fase do campeonato nacional garantiram-lhe o “visto” para os “Tubarões Azuis”. “Xolote” está, sem sombra de dúvidas, a viver o melhor momento da sua carreira futebolística.

  • Por Rosiane Sales

– Temos informações de que foi abordado pelo Mindelense para integrar a equipa na próxima época futebolística. Confirma?

 É verdade que foi contactado por dirigentes do Mindelense, mas ainda não está nada acertado. Mas fiquei satisfeito com o interesse e, caso se concretizar, vou ter enorme prazer em jogar para uma equipa com a história do Mindelense.

E qual a sensação de ter jogado pela primeira vez pela Seleção Cabo-verdiana? E de ser o Melhor Marcador no Campeonato Nacional, ainda que a sua equipa tenha ficado pelo caminho?

– É uma honra ter representado a nossa bandeira ao mais alto nível do Futebol Cabo-verdiano. Espero não parar por aqui. Também é uma sensação muito boa ser o melhor marcador do campeonato nacional de futebol.

– Acha que esta convocatória pode ajudar na sua carreira como futebolista?

– Sim, e isso prova que todo trabalho que tenho feito durante esses dez anos no futebol têm sido reconhecido. O facto de ser considerado o melhor marcador do campeonato nacional fez com que me convocassem para um jogo amigável da Seleção, isso ajudou e continua a ajudar sem dúvida. Agora é só continuar a trabalhar.

– Pelo que vem jogando, você se considera apto para uma vaga “permanente” na Seleção Nacional?

– Todos os jogadores se consideram apto para jogar na seleção. Eu, particularmente, vou continuar a trabalhar com muita dedicação e o meu esforço, com certeza, será reconhecido novamente. Mas é verdade que a escolha dos jogadores para integrar a selecção nacional é uma opção exclusiva do treinador.

-Quem é o sue ídolo no futebol?  

-O meu ídolo é o Cristiano Ronaldo.

– Antes dos jogos, costuma fazer algo para manter a concentração?

– Sim, normalmente costumo ouvir música. A música me deixa mais relaxado e muito concentrado para poder jogar.

Você gosta de treinar? Qual é o seu treino preferido (tático, técnico ou físico)?

-Gosto muito de fazer qualquer tipo de treino, mas prefiro o técnico.

 – Você tem interesse em jogar em outra ilha/equipa?

– Depende, se além de jogar, essa equipa me oferecer um trabalho e uma casa para morar, tubo bem. Digo isto porque aqui em Cabo Verde ninguém consegue viver só de futebol.

– Qual é até agora a sua maior conquista no futebol?

– Sem dúvida que a minha conquista mais significativa no futebol até agora foi ter sido convocado e jogado pela Seleção de Cabo Verde.

– Para chegar ao nível que está hoje, qual é seu segredo?

-É trabalhar muito e ser humilde acima de tudo

– Como você define trabalho muito?

– É treinar todos os dias, ter boa alimentação, evitar bebidas alcoólicas o máximo possível, ter humildade, aceitar as criticas construtivas de modo a melhorar cada vez mais, etc.

– Qual é a equipa e posição em que começaste a jogar?

-Comecei a jogar no Sporting de Porto Novo, como Ala (as vezes no lado esquerdo, outras vezes no lado direito).

-Em que equipas você já jogou ao longo da sua carreira?

-Já joguei no Sporting, na Fiorentina, no Marítimo e na Académica, todos do município do Porto Novo, em Santo Antão.

– De entre estas equipas que você já representou, qual é a que você se destacou mais até agora?

-Foi, sem dúvida, na Académica de Porto Novo nesta época desportiva. Fui considerado o Melhor Marcador no Nacional de Futebol, com sete golos na 1ª fase. Foi uma pena que não termos conseguido chegar as meias-finais…

– É fácil seguir as orientações que o seu treinador passa para você nos treinos e durante os jogos?

-Sim, faço o possível para entender e para cumprir aquilo que me é exigido, enquanto jogador.

– Como é a sua relação com os seus colegas de equipa. E Como você os descreveria?

-Tenho uma óptima relação com todos os meus colegas. As vezes desentendemos nos treinos ou nos jogos, devido ao calor do momento, mas logo de seguida entendemos. Eles são parceiros, são brincalhões, compreensíveis, mas acima de tudo dedicados…

– Tens medo de lesão? Já tiveste alguma?

-Todos os jogadores tem medo de lesão. Tive uma lesão e fui obrigado a ficar dois anos sem jogar.

– Sua família acompanha os seus jogos?

-Sim, todos.

– Sua família cobra de você a necessidade de ser um grande profissional de futebol?

– Sim, minha família preza muito para que eu esteja em boas condições (física e psicologia) de modo a ser um bom profissional de futebol e eles me apoiam muito.

– Já enfrentou alguma situação em que sentiu que podia colocar tudo a perder?

-Por sorte, nunca vive nenhuma situação complicada e espero nunca vir a estar.

– Então acha que está no caminho certo?

– Tenho certeza de que estou no caminho certo…

– Você está feliz com o que você está fazendo no futebol?

-Quem no meu lugar não estaria. Fui para Portugal representar a nossa Seleção, joguei ao lado dos melhores jogadores de Cabo Verde, joguei com as melhores equipas do país no Campeonato Nacional e fui considerado o Melhor Marcador do mesmo.

– Qual é a mensagem que você deixa para os jovens que estão a começar no mundo de futebol?

Nunca desistem dos vossos sonhos. Por mais difícil que possa parecer, não é impossível. Com muita dedicação, confiança, esforço, humildade e respeito, o nosso sonho será alcançado, basta acreditar.

  • Aluna do 2º Ano do Curso de Ciência de Comunicação da Universidade Lusófona

 

(Visited 2.181 times, 1 visits today)

1 COMENTÁRIO

  1. Ficou a faltar a data e o local de nascimento, o q ajuda a melhor analisar o perfil do jogador(principalmente A IDADE DO MESMO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here